Profissão Repórter chega ao programa 400 com reportagem sobre tribos de índios isolados

Publicado há um ano
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

São mais de 13 anos no ar, com reportagens emocionantes, esclarecedoras e investigativas. Para mostrar os bastidores da notícia sob diferentes ângulos, a jovem equipe do Profissão Repórter, comandada pelo experiente Caco Barcellos, já percorreu todos os estados do Brasil e visitou 43 países.

Nesta quarta-feira, dia 16, o programa atinge a marca de 400 edições com uma reportagem especial sobre tribos de índios isolados. Na mais longa expedição já feita pela equipe, os jornalistas Danielle Zampollo e Maycon Mota passaram 25 dias na Amazônia.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entre tantas formas de apresentar a história, uma de nossas ferramentas durante esses 400 programas sempre foi a imersão. Essa forma enxuta, como no caso das tribos da Amazônia, em que tínhamos dois repórteres, não interfere na rotina das pessoas, nos acontecimentos, nas notícias. A imersão mostra como a história pode ser vista por diversos ângulos”, explica Caco Barcellos.

Em uma viagem que envolve aventuras e riscos, o programa revela ameaças crescentes a um trecho remoto da floresta e seus povos tradicionais. Na terra indígena do Vale do Javari, uma das maiores do país, perto da fronteira com o Peru, a presença de invasores é cada vez mais comum. A preocupação maior é a transmissão de doenças: como os indígenas não têm anticorpos, pequenos resfriados podem evoluir para quadros mais graves.

Dura realidade

A reportagem mostra agentes de saúde aplicando vacinas e conta como servidores  públicos tentam mediar problemas entre as tribos, já que conflitos entre Korubo e Matis, por exemplo, já deixaram mortos dos dois lados.

Tudo foi muito especial para mim, mas a primeira coisa que vem na minha memória quando falo sobre essa experiência é o primeiro contato com os isolados. Eles nunca tinham visto jornalistas, as câmeras eram equipamentos muito diferentes para eles. Ter a chance de participar dessa expedição, conhecer um pouco da história dos Korubos e vivenciar tudo isso de perto foi um privilégio que jamais esquecerei”, conta Danielle Zampollo.

O Profissão Repórter vai ao ar nesta quarta-feira, dia 16, logo após o futebol.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio