Pela segunda vez seguida, encerramento do Jornal Nacional homenageia vítimas da pandemia

O número de mortos pelo coronovírus foi destacado no final do jornalístico

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A exemplo do final da edição de terça (16), o encerramento do Jornal Nacional dessa quarta (17) também prestou uma homenagem as mais de 200 mil vítimas do coronavírus no Brasil.

Os âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos relataram que a primeira manifestação de solidariedade foi realizada em maio de 2020. Desde então, tornou-se uma triste rotina abordar os números da pandemia que estão cada vez mais crescentes.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Esse momento de homenagem foi se repetindo de tempos em tempos. Você foi se habituando ao nosso cenário na escuridão. A imagem triste de um pedaço cinzento da bandeira brasileira com o número de vidas perdidas”, disse Bonner.

Já Renata explicou porque a decisão de encerrar o Jornal Nacional da mesma maneira duas vezes seguidas. “O marco dessa quarta-feira é diferente. É a primeira vez que o JN termina assim em duas edições seguidas. Em 24 horas, o país ultrapassou o marco simbólico das 285 mil mortes. Agora são 285.136”, destacou.

Por fim, o jornalista fez um apelo. “É um novo patamar dessa tragédia. E um motivo a mais para que todas as autoridades e todos os cidadãos brasileiros façam todo o possível urgentemente para frear essa escalada em respeito as famílias de tantos mortos. Em respeito a vida de todos”, declarou, antes de subir a vinheta final do JN, em completo silêncio.

A homenagem comoveu o público e levou o Jornal Nacional aos assuntos mais comentados no Twitter.

Assista ao encerramento na íntegra:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio