Participação de Ratinho em comícios do filho é limitada pela Justiça

Publicado há 2 anos
Por Clara Ribeiro
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ratinho teve sua participação limitada pela Justiça nos eventos de seu filho, o candidato a governador do estado do Paraná Ratinho Júnior (PSD).

A determinação foi dada pelo juiz Gilberto Ferreira, do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), determinou nesta sexta-feira (21). Na decisão, foi frisado que atos relacionados à campanha do político não podem colocar Ratinho em uma função de apresentador ou animador.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Justiça considera que a presença do comunicador estava sendo usada como um motivo para “atrair um público maior aos comícios de Ratinho Júnior”, extrapolando os limites da liberdade de expressão, além de desequilibrar a disputa.

Ferreira utilizou peças da campanha que exaltavam a participação de seu pai artista. Entre os materiais apresentados estava um dos convites, onde continha a frase: “Venha dar um abraço no Ratinho!”.

“Não se pode impedir que o cidadão Ratinho preste apoio ao filho durante a campanha eleitoral, inclusive participando de comícios e eventos. Contudo, deve-se evitar o abuso desse direito”, escreveu Ferreira.

O magistrado ressaltou que o intuito não é proibir o apoio apresentador do SBT na campanha eleitoral de seu filho, algo não permitido pela lei. Entretanto, ele afirma que celebridades e artistas não podem atuar em eventos de campanha “na condição de protagonistas”.

Leia mais: Ratinho revela salário que teve na Record e que Globo tentou contratá-lo

Ratinho pedia votos ao filho em eventos

De acordo com matéria da Folha de S.Paulo, em um dos eventos políticos do candidato do PSD em Curitiba, o apresentador aproveitou para pedir votos ao herdeiro: “Se vocês gostam do Ratinho, desse Ratinho aqui [aponta para si], votem no meu filho”.

Vale lembrar que Ratinho Júnior já foi eleito a deputado estadual e federal, bem como atuou como secretário de Desenvolvimento Urbano na capital paranaense.

Atualmente, ele se apresenta em primeiro lugar nas pesquisas de opinião. No último estudo divulgado Ibope, por exemplo, o filho do comunicador tinha 42% das intenções de voto, contra 13% de Cida Borghetti, do PP, que é a atual governadora do estado.

Foi a coligação de Cida, aliás, que fez o pedido à Justiça. A decisão tem caráter provisório e cabe recurso.

Segundo o próprio candidato, a Justiça “está querendo crucificar um pai”. Ele diz que seu pai participa dos atos para contar a história da família e da atuação do filho como gestor.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio