Orgulho e Paixão: Josephine explica seu sumiço para Rômulo

Publicado há 3 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Orgulho e Paixão, na Globo, Josephine (Christine Fernandes) retornou ao Vale do Café, depois de dez anos. Todos acreditavam que ela estava morta. Mas, agora, ela quer retomar o tempo perdido e ganhar o perdão de seus filhos. Por isso, ela vai conversar com Rômulo (Marcos Pitombo) sobre os motivos que a levaram a abandonar a família. Confira.

“Lamento por todos esses anos de ausência. Mas eu também precisei ir em busca de mim mesma. E só o fiz porque sei que os filhos são mais felizes se suas mães se sentem satisfeitas e eu… era tão miseravelmente infeliz aqui, com seu pai”, explicará. “Ser mãe nunca foi o suficiente para que se sentisse completa, não é?”, questionará Rômulo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Julieta decide contar a Camilo sobre casamento falso, em Orgulho e Paixão, na Globo

“Meu filho, meu Rômulo, entenda: isso nada tem a ver com meu amor por você e seu irmão. Este sentimento é incondicional e está acima de todas as coisas. Mas a vida com Tibúrcio era… morte! Morte em vida!”. “E por que voltou, depois de tanto tempo? Não me entenda mal, vê-la viva é… uma emoção que não sei descrever. Só estou tentando entender”, pontuará.

Luta por direitos

“O sofrimento de me ver separada de você e Edmundo me fortaleceu. Demorou, eu sei. Mas finalmente deixei de ser a mulher assustada que era. Entendi que posso e devo lutar pelos meus direitos. O direito à convivência com meus filhos”. “Disse “direitos”, no plural. O que mais pretende com a sua volta, além de retomar o relacionamento conosco?”.

“Que quer dizer?”, perguntará ela, de volta. “Essa mansão também é sua… Imagino que deseje reaver a parte que lhe cabe”. “Sei o que está implicando… Tenho, sim, a pretensão de reaver o que é meu, é o justo. Mas não pense que foi por isso que voltei. Estou aqui porque finalmente consegui me libertar do medo. O medo de ser rejeitada pelos meus filhos. E do que Tibúrcio é capaz de fazer”.

Deixada para morrer

“Você acredita mesmo que papai… que o Almirante tentou matá-la? Acha mesmo que papai seria capaz?”. “Talvez Tibúrcio não tenha planejado me matar. Mas quando caí na água, ele viu uma oportunidade de se livrar de mim. Implorei para que me socorresse. Não fez esforço algum”.

“O que fez esses anos todos? Onde esteve?”, perguntará Rômulo. “Na Europa, na maior parte do tempo. Tenho tanto para lhe contar. Mas, para isso, preciso ganhar sua confiança de volta. Acha que é capaz de me perdoar?”. Posso ao menos lhe abraçar?”. “Desculpe… preciso de… tempo”, concluirá Rômulo, rejeitando o abraço.

Ainda em Orgulho e Paixão: Aurélio repreende Edmundo por causa de Ema

Em Orgulho e Paixão, na Globo, Aurélio (Marcelo Faria) não está nada contente com o noivado de Ema (Agatha Moreira) e Edmundo (Nando Rodrigues). O rapaz deu um vexame durante a festa de noivado e acabou decepcionando a todos. Mas, no dia seguinte, ao procurar Ema, para pedir desculpa, ele se deparará com o pai da noiva. Confira.

“Que espetáculo deprimente o senhor nos ofereceu ontem à noite. Se apresentar bêbado no baile de noivado! Dizer o que disse de si mesmo, que ama outra, já seria humilhação suficiente pra minha filha. Mas não se contentou, achou pouco! Tingiu os sentimentos mais delicados de Ema com as tintas do escândalo, e exibiu para a cidade inteira!”, reclamará Aurélio.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio