Orgulho e Paixão: Depois de conhecer São Paulo, Elisabeta não quer mais voltar para o Vale do Café

Publicado há 3 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Elisabeta (Nathalia Dill) ficou mesmo encantada com São Paulo. A mocinha que nunca tinha saído do interior, ficou feliz de conhecer a metrópole e não quer mais retornar para o Vale do Café, em Orgulho e Paixão, na Globo. Porém, a protagonista será convencida por Ema (Agatha Moreira) e Jane (Pâmela Tomé).

“Elisabeta! Você sempre foi precipitada, mas até pra você isso passa dos limites! Não voltar pro Vale do Café? Que absurdo!”, dirá Ema nervosa. “Foi a tarde mais perfeita de minha vida, admito. Mas combinamos com papai de voltar”, argumentará Jane.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Julieta reconhece que Elisabeta lembra a si quando jovem, em Orgulho e Paixão

“Aquela Elisabeta combinou. Mas essa que nasceu quando chegou em São Paulo tem outros planos”, rebaterá. “Quanta afobação, Elisa, melhor você pensar com mais calma e tranquilidade e…”, dirá a irmã. “Calma, as duas! Sei que não depende só de mim. E que preciso ter paciência. Claro que vou voltar para falar com papai”.

“Só ir falar com ele e voltar pra cá? Nossa, falando desse jeito, parece que já rasgou sua certidão de nascida no Vale do café”, criticará Ema. “É que reencontrar Darcy, ter a certeza de que ele sente por mim, o que sinto por ele… E São Paulo! Conhecemos pouco da cidade, mas o que vimos… As pessoas, a vibração! Estou decidida: vou morar aqui na cidade grande!”.

“Você não pode fazer isso, você vai se arrepender, sei disso”, afirmará Ema. “Elisa, e nós como ficamos, eu, nossas irmãs, a promessa que fizemos umas às outras antes de sair…”, dirá Jane. “Ei, ei, ei! Silêncio vocês duas!”.

“Vocês estão certas: me rendo! Prometo voltar pro nosso Vale e pensar com calma como e o que fazer para vir morar aqui em São Paulo! Mas no meu coração está decidido!”. “Que rendição é essa?! Francamente! Não duvido que a água desta cidade insana esteja te fazendo mal. Acorda Elisa: primeiro as obrigações, depois os devaneios”, rebaterá Ema.

“E a que sou obrigada? Desconfio que meu único compromisso seja com minha própria felicidade”. “Certamente não é longe dos seus e da sua cidade onde vai encontrar isso”, insistirá Ema.

“Meu lugar é onde estão meus sonhos. E quem gosta de mim vai entender minha falta”. “Pois para mim, esta cidade é como um buraco negro. E, pelo visto, vai levar minha amiga também. Foi um erro ter vindo!”.

“Depende de como você vê as coisas! Não percebe que, pela primeira vez na vida, alguma coisa está acontecendo aí dentro de você também?”. “Meninas… Não querem sair pra comermos uns quitutes na confeitaria tão charmosa que tem aqui ao lado?”, sugerirá em vão Jane.

“Se está falando de Jor… Não admito que inclua minhas questões nos seus arroubos”. “Ai, meu Deus, desculpe, eu não devia ter falado isso, você e Jorge… Eu só queria te encorajar”.  “Já disse que cometi um erro! Lamento ver que com essa ideia estapafúrdia de morar em São Paulo… você também esteja cometendo o seu! Se quiser falar de assuntos mais amenos, estarei no quarto”, concluirá Ema.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio