“O mínimo que queremos é respeito”, diz repórter da Globo após agressão de equipe de Bolsonaro

A jornalista repudiou os ataques sofridos

Publicado em 13/12/2021 13:48
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A jornalista da TV Bahia, afiliada da Globo, se manifestou sobre os ataques sofridos no último domingo (12) durante a visita de Jair Bolsonaro nas áreas afetadas pela chuva no extremo sul da Bahia.

A repórter Camila Marinho, que estava com ocinegrafista Cleriston Santana, teve a espuma de seu microfone rasgada por um apoiador e sua pochete foi arrancada por outro. Segundo informações do portal G1. um segurança chegou a segurar a repórter pelo pescoço, com a parte interna de seu antebraço.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em seu perfil no Instagram, ela se manifestou e publicou a foto do microfone. “Nenhuma ameaça nos tira da nossa missão de informar. Só lamento a truculência, o ódio e a covardia dos que se acham melhores e acima de tudo e de todos. Somos trabalhadores exercendo o nosso papel: jornalistas em busca dos fatos e da verdade. Mas antes de tudo somos seres humanos. E o mínimo que queremos é respeito”, escreveu.

Os jornalistas da TV Aratu, afiliada do SBT, Xico Lopes e Dário Cerqueira também foram agredidos. Após a confusão, a assessoria de imprensa da Presidência chamou os repórteres dos dois veículos para dentro do local e um dos integrantes da segurança se desculpou pelo ocorrido.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio