No Dia de Combate ao Alcoolismo, relembre personagens das novelas que sofriam por conta do vício

Publicado há 4 anos
Por Leandro Lel Lima
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dezoito de fevereiro é o Dia de Combate ao Alcoolismo. E para conscientizar nossos leitores sobre o tema, elaboramos uma lista de personagens que marcaram a história da TV por conta do drama vivido, entre eles, Heleninha Roitman, de Vale Tudo, Orestes, de Por Amor, Lobato, de O Clone, professora Santana, de Mulheres Apaixonadas, entre outros. 

Mas você sabia que aproximadamente 20% das pessoas que ingerem bebida alcoólica em grande quantidade desenvolvem disfunções no fígado? O Observatório da Televisão bateu um papo com o cirurgião geral e de transplante do Hospital Nossa Senhora das Graças, Eduardo Ramos, que afirma: “Essas pessoas apresentam alterações importantes como a esteatohepatite alcoólica aguda, que é o acúmulo de gordura no interior das células do fígado,fibrose e cirrose.”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), não existe um nível seguro para o consumo de álcool. Se a pessoa bebe, há risco de problemas de saúde. Conforme a OMS, as pessoas saudáveis podem consumir, no máximo, 30 gramas de álcool por dia. Porém, se a pessoa for hipertensa ou tiver diabetes não poderá beber. Dr. Eduardo Ramos ressalta que, para aqueles que não abrem mão de um happy hour ou qualquer outra bebida em determinados momentos, o ideal é saber consumir sem exageros. “O ideal é o consumo social, em pequena quantidade, nos fins de semana”, conclui.

Apesar de o corpo demorar em média uma hora para degradar 10 ml de bebida alcoólica, algumas características pessoais podem fazer com que demore mais para ser metabolizado. “Fatores como o peso, se é homem ou mulher, idade, obesidade, metabolismo pessoal, quantidade de alimentos ingeridos juntamente com a bebida, o tipo e a dose da bebida alcoólica e se a pessoa está tomando alguma medicação, fazem o tempo de degradação do álcool variar”, comenta.

Além dos problemas de saúde, tais como a cirrose e a pancreatite aguda, o consumo exagerado de álcool pode ser um perigo para quem faz uso de medicamentos. “As bebidas alcoólicas podem diminuir ou potencializar os efeitos dos medicamentos”, comenta o médico. O mais comum é potencializar os efeitos colaterais causando sintomas como náuseas, tonturas, sonolência e diminuição da habilidade motora”, salienta o especialista.

Cirrose alcoólica

A cirrose alcoólica é causada pela ingestão diária e prolongada de álcool. É considerada uma doença de alcoólatras, no entanto todas as condições que levam a uma inflamação crônica do fígado (alcoólicas ou não) podem resultar nessa patologia.  É processo crônico de destruição das células hepáticas, que ocorre de maneira difusa, com formação de cicatrizes e nódulos levando à necrose do órgão.

O único tratamento efetivo da cirrose é o transplante hepático, indicado apenas para alguns casos. Portanto, é importante fazer o diagnóstico precoce para iniciar o mais depressa possível o tratamento que pode adiar ou evitar maiores complicações.

Pancreatite Aguda

É uma inflamação repentina do pâncreas  que ocorre quando as enzimas digestivas produzidas no órgão são ativadas em seu interior, causando danos. As duas causas mais frequentes são a existência de cálculos na vesícula e/ou vias biliares, conhecidas como pedras na vesícula, e também o consumo de álcool em excesso.

Os sinais de pancreatite aguda costumam variar, mas o mais comum é a dor progressiva na parte superior do abdômen, que torna-se constante e vai piorando com o tempo. Além disso, pode causar náuseas, vômito, gases, fezes com cor de argila, indigestão e inchaço na região abdominal, entre outras.

Agora, vamos relembrar os personagens das novelas que sofriam com o alcoolismo: 

Heleninha Roitman em Vale Tudo, 1988. Uma das personagens mais marcantes de Renata Sorrah era viciada em bebidas alcoólicas.

Nos anos 80 fumar e beber era visto como chique, personagem passou por situações constrangedoras (Globo/Cedoc)

Em Por Amor, 1997, Manoel Carlos escreveu o drama de Orestes, (Paulo José) com o alcoolismo. O personagem sofria com a rejeição da filha e enfrentou o desemprego entre outros problemas.

Pai de uma das protagonistas, o personagem ajudou a entender mais sobre o vício (Reprodução)

Em uma das cenas o personagem causa constrangimento no casamento da filha mais velha, Eduarda, e após assumir o vício vai ao AA acompanhado da filha mais nova.

https://www.youtube.com/watch?v=o8l5-8MlcMM

Osmar Prado deu vida ao advogado Lobato em O Clone, 2001. Um dos momentos mais marcantes é quando o personagem assume que é dependente químico.

Um advogado que por conta do vício perde os amigos e o trabalho foi também um dos destaques de Osmar Prado (Reprodução Gshow)

Confira: 

Um dos maiores sucessos da carreira da atriz Vera Holtz, a professora Santana de Mulheres Apaixonadas comoveu o pais em 2003 com o seu vício.

Personagem é uma dos elogiados na carreira de Vera atualmente em A Lei do Amor (Globo)

Incentivada por alguns alunos, Santana cai bêbada na piscina:

Em outra cena é confrontada por sua amiga:

https://www.youtube.com/watch?v=klyprr1buyI

Em Viver a Viva, trama de Manoel Carlos, Barbara Paz deu vida à Renata que sofria de anorexia alcoólica.

Mateus Solano, Barbara Paz e Paloma Bernardi em cena (TV Globo)
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais