Há 35 anos, estreava a minissérie Bandidos da Falange

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 10 de janeiro de 1983, estreava na Globo a minissérie Bandidos da Falange. A trama era escrita por  Aguinaldo Silva, com a colaboração de Doc Comparato, e direção de Luís Antônio Piá e Jardel Mello. José Wilker, Betty Faria, José Mayer e Stênio Garcia viviam os personagens principais desta história policial.

Bandidos da Falange começa quando o bandido Paulo Alberto (Nuno Leal Maia) morre, deixando para Marluce (Betty Faria), uma de suas mulheres, uma fortuna em diamantes. O tesouro era fruto de seu último roubo, e estava escondido num antigo relógio de mesa. Marluce, então, passa a ser perseguida pelo policial corrupto Tito Lívio (José Wilker), que era parceiro de Paulo Alberto, e que quer reaver os diamantes. Outro que está no encalço de Marluce e dos criminosos que a cercam é o policial Lucena (Stênio Garcia), este íntegro e correto.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Paralelamente, Jorge Fernando (José Mayer), um primo de Paulo Alberto, cria na cadeia a organização criminosa Falange Vermelha, com códigos de honra baseados na força e fidelidade do grupo. Um dos principais objetivos da Falange Vermelha também é resgatar a fortuna escondida por Paulo Alberto no relógio. Dá-se início, então, a uma ampla perseguição, numa trama que retratava a violência da Baixada Fluminense.

Bandidos da Falange foi concebida pelo autor Aguinaldo Silva a partir de suas próprias experiências como repórter policial. A ideia era falar da criminalidade urbana, mostrando grupos de criminosos que se formam nas próprias cadeias e cujos tentáculos alcançam as ruas, incluindo aí policiais corruptos. Assim, a série contava a trajetória de um grupo criminoso dividida em quatro partes: “As origens”, que se desenrola em 1975; “A organização”, em 1977; “Lutas internas”, em 1979; e “A queda”, em 1981.

Aclamada pela crítica, Bandidos da Falange angariou alguns prêmios, entre eles da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), que elegeu José Mayer como revelação de 1983 na televisão, enquanto Stênio Garcia foi o melhor ator (juntamente com Paulo Autran e Mário Gomes, pela novela Guerra dos Sexos). Bandidos da Falange foi ainda eleita a melhor minissérie.

A trama também marcou o retorno da atriz Marieta Severo à televisão, da qual ficou afastada por 13 anos por solidariedade ao marido, Chico Buarque. Ela viveu Denise, mulher do bandido Paulo Alberto e amante de Tito Lívio.

Com 20 capítulos, Bandidos da Falange foi reapresentada, numa edição especial de 10 capítulos, em fevereiro de 1984, e lançada em vídeo em 1986.

Leia também:

O Salvador da Pátria estreava há 29 anos

Reveja a abertura de Bandidos da Falange:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio