Globo exibe especial de Natal Gilda, Lúcia e o Bode, com Fernanda Montenegro

Atração vai ao ar nesta sexta-feira, depois da reprise da novela A Força do Querer

Publicado há 22 dias
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A dificuldade financeira que Gilda (Fernanda Montenegro) e Lúcia (Fernanda Torres) precisam enfrentar nesta nova fase, de volta ao Rio de Janeiro, não é o único desafio que mãe e filha terão que encarar. Além da presença inevitável do bode ‘Everi’, as diferenças de personalidade entre as duas, que passam a morar juntas na casa de Gilda, tornam a rotina ainda mais difícil.

Captar a delicadeza da relação entre elas e, ao mesmo tempo, ressaltar as diferenças ideológicas das personagens foram pontos de partida para a produção de arte do especial de Natal Gilda, Lúcia e o Bode, que a Globo exibe no dia 25 de dezembro, após A Força do Querer.   

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Segundo Kiti Duarte, que assina a produção de arte do especial, o trabalho teve como foco principal o cenário da casa da personagem de Fernanda Montenegro.

“A casa da Gilda foi o nosso set principal. Nossa intenção foi encontrar uma locação que já refletisse bastante da personalidade dela, além de se adequar às necessidades de produção que esse momento de pandemia exige. Tivemos a sorte de encontrar uma casa interessante, com ótimos espaços, muitas cores e objetos. Interferimos basicamente com obras de arte e a reorganização dos espaços para atender à dinâmica das cenas”, detalhou.  

Fernanda Montenegro e Fernanda Torres com o bode (Divulgação/Globo/João Faissal)

A diferença de personalidade entre Gilda e Lúcia foi levada em conta no processo criativo. “Lúcia (Fernanda Torres) é mais prática, sensata, adequada, bem-sucedida. Sua casa na Serra é bem construída, sóbria e de bom gosto, mas sem tantos detalhes pessoais. Gilda (Fernanda Montenegro) é mais livre, irreverente, excêntrica e com idade suficiente para ter colecionado histórias e coisas”, avaliou a produtora.

Kiti ainda completou: “Sua casa tem impressa essa atmosfera de casa de família, não muito intencional, desenhada pelo tempo e pelas pessoas que a ocuparam. A exuberância das cores traz a energia vibrante e transgressora que ela carrega”.

O diretor artístico do especial de Natal, Andrucha Waddington, destacou algumas referências usadas na escolha dos ambientes. “Para a casa da Gilda, escolhemos uma residência muito arejada no bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, até para respeitar os protocolos de segurança. A locação foi construída nos anos 50, com materiais de demolição dos anos 30. É uma casa com história e personalidade. Também temos locações urbanas, como a Praia Vermelha, na Urca, e o Centro do Rio de Janeiro. A parte rodada na Serra é uma continuação de ‘Amor e Sorte’”, contou Andrucha.  

O diretor artístico ressaltou, ainda, a trilha sonora do episódio especial de Natal. “Para a abertura, escolhemos ‘Sorrir e Cantar como Bahia’, dos Novos Baianos. É uma música superdelicada e vai dar um resumo do especial logo na abertura. Para encerrar, escolhemos ‘Refazenda’, de Gilberto Gil. Durante o episódio, temos também canções de Marília Mendonça e Sérgio Sampaio”, adiantou.

Criado por Jorge Furtado e produzido pela Conspiração Filmes para a TV Globo, o especial de fim de ano Gilda, Lúcia e o Bode tem roteiro de Jorge Furtado, com Fernanda Torres e Antônio Prata, direção de Pedro Waddington e direção artística de Andrucha Waddington.

Protagonizado por Fernanda Montenegro, Fernanda Torres e Joaquim Waddington, conta com as participações especiais de Arlete Salles e Fabiula Nascimento, além de Muse Maya, Kelzy Ecard, Thelmo Fernandes, Cibele Santa Cruz e Fernando Pestana no elenco.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio