Ex-amigo de Donald Trump, roqueiro Dee Snider desabafa: “Percebi que não estamos na mesma linha”

Publicado há 2 anos
Por Caio Ponciano
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O cantor Dee Snider, ex-vocalista da banda de rock norte-americana Twisted Sister, foi entrevistado por Danilo Gentili no The Noite desta sexta-feira (22). O roqueiro se apresenta neste sábado (24), em São Paulo, com o show solo For The Love Of Metal.

“Eu vou cantar músicas do álbum novo. Mas eu tenho que tocar as do Twisted Sister também. Escrevi essas músicas e elas fazem parte da minha história. Não tem um sentimento melhor do que ver a plateia se iluminar e gritar quando você canta uma música histórica. Portanto, eu sempre vou querer cantar essas canções”, adiantou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No talk show do SBT, Dee Snider falou também sobre a decisão de seguir em carreira solo. “O Twisted Sister decidiu se aposentar e minha esposa e eu compramos uma casa na praia e relaxamos. Até que um amigo me desafiou a fazer um disco de metal, que fosse contemporâneo. Eu quis fazer uma coisa nova, viva, que não tivesse a cara dos anos 1980. O clipe [For The Love Of Metal] foi dirigido por um brasileiro, inclusive, o Leo Liberti. Ele é fã da minha música e tem muito talento. Fez um trabalho excelente”, elogiou.

“Eu não sabia quais eram as suas crenças e ideologias”, diz, sobre Trump

O músico participou da versão norte-americana do reality show O Aprendiz Celebridade, apresentado por Donald Trump. O fato fez com que ele se tornasse amigo do atual presidente dos Estados Unidos. “Nós éramos amigos, mas eu não sabia quais eram as suas crenças e ideologias. Depois, percebi que não estamos ‘na mesma linha’. Ele me ligou e pediu uma música minha para a campanha dele. Eu disse que podia fazer. Passados três meses de campanha, quando eu ouvi o que ele vinha falando, principalmente sobre a imigração, pedi para ele tirar a música. Meu avô teve asilo político nos Estados Unidos, sem a imigração eu nem existiria”, desabafou o gringo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais