“Eu fiquei surpreso comigo mesmo”, diz Batoré sobre sua atuação em novela da Globo

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um dos maiores humoristas do Brasil e apostando na sua carreira como ator, Batoré foi o convidado desta terça-feira (28) do Programa do Porchat, de Fábio Porchat, na RecordTV.

Entre brincadeira de atuação e outras perguntas, Batoré, que na verdade se chama Ivanildo Gomes Nogueira, falou que não se importa de ser chamado apenas pelo personagem que o eternizou em A Praça é Nossa, nos anos 90, do SBT.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Fábio Porchat responde crítica de Théo Becker com piada: “Peço desculpa 422 vezes”

“Para quem era chamado de fdp, chamar de Batoré é um privilégio. Virou uma marca, né?”, afirmou o humorista, que completou dizendo que nunca se imaginou fora do programa de Carlos Alberto de Nóbrega.

“Eu nunca me vi fora do SBT, fora da Praça. Eu fiz ele para a Praça. Até hoje eu só tenho esse personagem, só um. E até hoje ele me sustenta, mesmo não fazendo ele na Praça há 13 anos. Gravei agora uma temporada pro Treme Treme, do Multishow, depois de 13 anos, que vai para o ar em abril”, concluiu.

Batoré também comentou que fazer graça é como uma defesa e que não se importa em brincar com a sua falta de beleza, já que ele admite que não é um cara bonito.

“Eu sou um cara tímido, fazer graça com isso é uma defesa. Eu sei que eu sou feio. Eu convivo bem com a minha feiura. Eu espero que esse câmera tenha a consciência de que ele também é feio, por exemplo (risos)”, diz.

Batoré falou, claro, sobre sua experiência em atuar em uma novela. No caso, Velho Chico, de 2016, que ficou marcada pelo falecimento do protagonista, Domingo Montagner. O humorista revelou que quase não foi fazer o folhetim por medo e por ter dificuldade em decorar textos.

“Eu quase não fui por medo. Eu sempre tive respeito pela dramaturgia. E decorar texto é difícil, eu tenho dificuldade para decorar qualquer coisa. Não sei se é porque tenho raciocínio rápido por causa do humor…. E a novela tem essa questão do autor querer que o ator fale o que ele escreveu. Mas me convenceram”, explicou.

Por fim, Batoré diz que ficou surpreso com o próprio desempenho no folhetim e agradece ao diretor Luiz Fernando Carvalho, responsável técnico da novela, por ter lhe ajudado nesse sentido.

“Eu fiquei surpreso comigo mesmo, porque eu não sabia que podia fazer novela. O Luiz Fernando Carvalho me ajudou muito e mostrou pra mim que eu poderia fazer novela. O ruim é que eu não peguei ninguém no Velho Chico, achei que ia aparecer uma gostosa…. (risos)”, concluiu.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais