Encantadoramente odiável, Abel Zebu carrega um ar de mistério e uma família de dar medo em Vade Retro

Publicado em 19/04/2017

 

À primeira vista, a imagem que se tem de Abel (Tony Ramos) é a de um homem elegante, confiante, inteligente e bom de papo. O terno é sempre muito bem cortado, o cabelo e a barba alinhados, anel de ouro, lenço no bolso. Um homem distinto e bem-sucedido. Porém, com uma maior aproximação, percebe-se que seu sobrenome Zebu tem muito mais a dizer sobre ele do que pode-se imaginar. Na verd ade, Abel Zebu é um empresário milionário, com negócios de moral duvidosa, com alto poder de sedução e que costuma se safar de qualquer obstáculo. As leis e práticas de boa convivência são completamente ignoradas: ele anda em velocidade acima do permitido, fecha a porta do elevador mesmo que tenha alguém chegando, estaciona em vaga de idosos e por aí vai, fazendo coisas que até o diabo duvida.

Abel tem ainda uma acidez voraz nas palavras e diz, sem pudor, verdades tão cruas quanto seu senso de humor. Conviver com ele ou assistir algumas das palestras que costuma dar a empresários e interessados em seu sucesso é ter a certeza de que seus comentários não serão nada polidos. Em casa, ele divide os melhores – será? – momentos em família com a esposa Lucy Ferguson (Maria Luisa Mendonça), a enteada Carrie (Nathália Falcão) e o filho Damien (Enrico Baruzzi), todos bem distantes do perfil de família perfeita. O que os move é o interesse por um rubi valiosíssimo – cerca de 60 milhões de dólares – e que, reza a lenda, tem poderes que vão além de suas cifras. Abel faz de tudo para proteger esse bem, mas sua família está empenhada em encontrá-lo.

Para se livrar tanto da esposa como de alguns problemas em seus negócios, Abel procura Celeste (Monica Iozzi), uma advogada ingênua e manipulável, para que trabalhe em seu processo de divórcio e principalmente para que sirva de laranja em seus obscuros esquemas de lavagem de dinheiro. Seus diabólicos planos envolvem também usar a inocência e a juventude da moça para gerar um filho – um anti-cristo, talvez. Com artimanhas que não sabemos se são deste mundo, Abel Zebu promete despertar impressões controversas em quem o conhece.

Para ajudá-lo em suas artimanhas, Abel conta ainda com Lilith (Maria Casadevall), uma dançarina bastante misteriosa, sensual e determinada, que mantém uma relação íntima com o empresário, a ponto de fazer parte de uma estratégia mirabolante. O cabelo louro acinzentado e as unhas pretas longuíssimas fazem parte de seu disfarce como enfermeira no melhor estilo femme fatale.

‘Vade Retro’ é a nova comédia do bem contra o mal, que mostra que ainda pode render novos capítulos e boas gargalhadas. A série, em coprodução com a O2 Filmes, obra conta com o texto ágil e ácido de Alexandre Machado e Fernanda Young, a criatividade da direção artística de Mauro Mendonça Filho e a direção de André Felipe Binder e Rodrigo Meirelles. No elenco estão Monica Iozzi, Tony Ramos, Maria Luisa Mendonça, Cecília Homem de Mello, Maria Casadevall, Juliano Cazarré, Luciana Paes, Nathália Falcão, Enrico Baruzzi, entre outros.