Domingo Legal estreava há 25 anos

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 17 de janeiro de 1993, estreava nas tardes de domingo do SBT o programa Domingo Legal. Apresentada inicialmente por Gugu Liberato, a atração se tornou um dos maiores sucessos do canal nos anos 1990, mas perdeu relevância nos anos 2000. Mesmo assim, segue no ar até hoje, sob o comando de Celso Portiolli.

Domingo Legal estreou como uma espécie de versão dominical do Viva a Noite, atração de sucesso que Gugu comandava nas noites de sábado do SBT. Exibido gravado na faixa das 13 horas dos domingos, o Domingo Legal tinha como principal atração uma competição entre homens e mulheres, tal qual o Viva a Noite. Três homens e três mulheres famosos formavam dois times, que participavam de provas como a prova em que um participante desenhava e os outros tinham que adivinhar o que era; ou a prova dos balões, no qual todos deviam estourar bexigas no corpo do colega; ou ainda a prova do tato, aquela em que os participantes deviam descobrir que objetos tocavam com os olhos vendados.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além disso, Domingo Legal contava com muitas atrações musicais e, também, com outros quadros que foram estreando aos poucos. A partir de 1994, o programa passou a ir ao ar ao vivo, a partir do meio-dia, e contava com novos quadros como o Telegrama Legal, uma “pegadinha” encomendada por parentes ou amigos de alguém;e o clássico Táxi do Gugu, no qual Gugu se disfarçava de taxista para pregar peças em passageiros desavisados.

Em 1996, o Domingo Legal começava a se modificar. Em março daquele ano, a atração dedicou todo o seu tempo à cobertura da morte do grupo Mamonas Assassinas, fazendo com que atingisse a maior audiência de sua história, com 37 pontos de média no Ibope. Depois do feito, as coberturas jornalísticas passaram a ser mais constantes no programa, que ganhou uma equipe de reportagem e um helicóptero que passou a cobrir a Grande São Paulo e atualizar Gugu sobre os fatos do domingo. No mesmo ano, o programa foi realocado para a faixa das 15h30, passando a bater de frente com o Domingão do Faustão, da Globo, e iniciando uma rivalidade que se tornaria clássica.

No novo horário e cada vez mais “quente”, o Domingo Legal passou a apostar forte em quadros de grande apelo. Nesta época, ficaram famosas atrações como o Bom Dia Legal, quando Otávio Mesquita passou a acordar celebridades. Mais adiante, quando o apresentador deixou o SBT, o quadro passou a ser ancorado pela dupla ET & Rodolfo, que também protagonizou uma “saga” tentando acordar Silvio Santos. Outros quadros que fizeram sucesso foram Gugu na Minha Casa, quando Gugu visitava pessoas e procurava objetos pela casa, dando prêmios aos participantes; e a Banheira do Gugu, onde celebridades disputavam uma prova onde tinham de apanhar sabonetes numa banheira. Com muitos “closes ginecológicos” e alguma apelação, Domingo Legal tornou-se líder de audiência, dando trabalho à Globo. Em 2001, a atração vivia seu auge, consolidando-se de vez em seu horário de exibição.

A atração começou a perder força em 2003, quando exibiu uma falsa entrevista com membros da facção criminosa PCC. Descoberta a farsa, a atração perdeu credibilidade e prestígio, chegando a ter sua exibição suspensa por uma semana. Depois disso, a audiência caiu e não mais voltou aos patamares da liderança. Começava então uma fase pouco criativa, com quadros mais tolos e sem apelo. A situação só melhorou quando estreou Construindo um Sonho, quadro em que Gugu construía casas para os participantes. Não chegou a voltar aos áureos tempos, mas deu uma injeção de ânimo ao dominical, que seguiu assim até 2009, quando Gugu deixou o SBT e assinou com a Record.

A partir de julho de 2009, Domingo Legal passou a ser comandado por Celso Portiolli. O programa ainda tinha como único quadro relevante o Construindo um Sonho, e suas longas horas restantes eram ocupadas por homenagens a Michael Jackson e a prova da piscina de amido. Aos poucos, Celso foi lançando quadros novos, mas sem muito apelo. Até mesmo o Passa ou Repassa, um dos maiores sucessos da carreira do apresentador, foi ressuscitado como quadro, ficando uns bons anos no ar e injetando algum conteúdo no programa.

Em 2015, Domingo Legal foi reduzido pela metade em razão da exibição do Mundo Disney. Com duas horas de duração, o programa não conseguiu mais conter a concorrência do Domingo Show, da Record. Atualmente, além de continuar apostando no Construindo um Sonho, Celso comanda games, sua especialidade. Jogos como Batalha das Estrelas e Ganhar É Bom, Levar É Melhor trouxeram algo de novo ao Domingo Legal em 2017.

Por dois anos consecutivos, o SBT ameaçou acabar com o Domingo Legal. A ideia da emissora era colocar um novo programa no horário e realocar Celso para as tardes de sábado, substituindo Raul Gil. Mas a troca nunca aconteceu, e o Domingo Legal está confirmado na programação de 2018 da emissora.

Leia também:

Corações Feridos, mais uma novela engavetada do SBT, estreava há seis anos

Veja a chamada de estreia do Domingo Legal:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio