Descobrimos quem pode ser o assassino em série de O Sétimo Guardião e você nem imaginava

Publicado há 2 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cada vez mais perto da exibição de seu último capítulo, O Sétimo Guardião deve terminar exatamente como começou: uma novela morna. Apesar dos esforços da equipe de produção, a novela não conseguiu cativar a massa de telespectadores, que no máximo se encantou apenas por elementos pontuais, como o gato León ou o trabalho da atriz Elizabeth Savalla, a Mirtes.

A história de amor entre Luz, de Marina Ruy Barbosa, e Gabriel, Bruno Gagliasso, não encantou muita gente também. Pelo contrário, a suposta falta de química entre os protagonistas irritou a galera, que nem se importou quando eles se separam. Caiu aí o que seria mais um trunfo da novela. Não foi difícil para o público assistir o galã desistir de seu grande amor para cuidar da fonte milagrosa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para piorar, as histórias secundárias se tornaram um estorvo para a história central. Excetuando a beata Mirtes, quase nada funcionou. Clotilde, de Adriana Lessa, e Tobias, de Roberto Birindelli, podem ser cortados na edição internacional, sem nenhum prejuízo à novela. E o cabaré de Ondina, de Ana Beatriz Nogueira, que nunca protagonizou nada, nem um grande escândalo?

E mais!

A coisa vai piorando quando chega ao drama de Rivalda (Giullia Gayoso), Diana (Laryssa Ayres), Walid (Gabriel Stauffer), Bebeto (Eduardo Speroni). O núcleo jovem não agradaria nem ao público de Malhação. Assim como o lance de Lourdes Maria (Bruna Linzmeyer) com Olavo (Tony Ramos) significou um besteirol sem sentido para a trama.

Mas o ponto mais decepcionante até o momento, talvez, seja Neide, interpretada por Viviane Araújo. Surgiu murchinha no início da trama e assim foi caminhando. Parecia que, de fato, havia uma justificativa para a existência da personagem. Até que se descobriu que não. Ela não é a mãe de Luz (Marina Ruy Barbosa), de acordo com os últimos capítulos.

Operação salvamento

Mas, calma, nem tudo está perdido. Para dar um up nessa abundância de fracasso de tramas… O escritor Aguinaldo Silva colocou um serial killer na história. Ninguém na trama sabe quem é o bandidão e os guardiões, alvos dele, estão em pânico. Já se pensou em Eurico (Dan Stulbach), mas ele é tão fraco que seria um trunfo injustificado para o personagem.

Os vilões têm pinta de assassino. Então, dá para descartar Valentina (Lilia Cabral) e Olavo (Tony Ramos). Laura (Yanna Lavigne) é uma coitada, deve também ser cortada na versão internacional, que não fará falta. Sampaio (Marcello Novaes) é assassino, mas não merece tamanho destaque, já que não é inteligente.

As opções ficam muito restritas o que nos leva à Judith (Isabela Garcia). Sempre discreta e disposta a defender a fonte, a governanta nunca teve sua história contada. Quem é Judith, além de Robério (Heitor Martinez)? Dedicou sua vida a Egídio (Antonio Calloni) e à água milagrosa. Antes dos assassinatos de Machado (Milhem Cortaz) e Feliciano (Leopoldo Pacheco), ela havia visto o espírito de seu antigo patrão.

A obsessão dela pela fonte já gerou especulações em grupos sobre a novela na internet. Seria a assassina perfeita porque ninguém imaginaria e, ainda, por cima coroaria o trabalho da excelente Isabela Garcia. Há uma cena, em que ela diz dentro da fonte que dará início ao que deve ser feito. Mas tudo isso pode não passar de um recurso para despistar o público de O Sétimo Guardião.

Assassino sobrenatural

Aguinaldo Silva poderá surpreender revelando um assassino em série não humano. Se trata da própria fonte milagrosa. A própria Judith já conversou diversas vezes com ela, considerando-a uma divindade, com vontade própria. Pouco antes de morrer, Feliciano e Murilo (Eduardo Moscovis) vão ter uma briga na caverna e fonte reagirá.

A governanta tentará separar os dois brigões e cairá sentada. Mas, de repente, a fonte, que estaria seca, soltará um jato d’água em direção aos dois. Eles pararão de brigar e ficarão surpresos com a audácia da divindade. Isso indicará que a fonte é mais do que um espaço para admiradores da estética. Ela age quando é necessário, tanto que até secou.

Tanto Machado, quanto Feliciano, antes de morrerem, tiveram problemas sérios com a sua lealdade à Irmandade. Uma caiu por ter seu fetiche por calcinhas descoberto. O outro surtou porque ama Valentina. Ambos falaram demais sobre a fonte, ambos colocaram a fonte em segundo lugar, ambos eram guardiões. Não é difícil concluir que, com seus poderes fantásticos, sobrenaturais, ela tenha decidido acabar com os traidores. Será que plot twist será capaz de atrair fortemente a atenção do telespectador na reta final?

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio