Com seis meses de Pará, baiana Mariana Sena emplaca em versão local do Cidade Alerta

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em janeiro deste ano, a baiana Mariana Sena recebeu um convite maluco. Mais que isso: era um convite para mudar sua vida de uma hora para outra, de uma forma jamais imaginável.

Mariana era repórter e apresentadora substituta do Cidade Alerta na Bahia. O convite era para ir ao Pará, para a mesma Record e para o mesmo programa. A diferença: ela seria titular.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Record comemora crescimento de 25% de Ibope no Brasil nos últimos 5 anos

Entretanto, se pessoas normais iriam ficar um pouco assustadas com tamanha mudança, Mariana tirou de letra. Aceitou a proposta, e agora, comanda o programa policial nos fins de tarde.

Vale ressaltar, no entanto, que Mariana teve certa dificuldade no início. Afinal, era uma cidade nova, que ela nunca havia ido nem em viagem. Mas, aos poucos, as dificuldades formam passando.

A emissora, claro, investiu bem. Quase diariamente, Mariana Sena participa do Balanço Geral Pará, do também baiano Marcus Pimenta. A divulgação massiva em sua imagem deu bem certo.

Atualmente, Mariana Sena tem marcado médias acima dos 10 pontos de audiência na Grande Belém, ajudando a levantar a grade de programação da emissora no horário nobre.

Veja também

Paulo Henrique Amorim perde processo e tem salário na Record penhorado

Kevin Spacey é investigado em Londres por mais três casos de assédio

Mariana Sena comenta a sua boa fase no Ibope

Observatório da Televisão conversou com Mariana para ela relatar o bom motivo de sua boa fase, apenas seis meses após a mudança. Ela explicou quais foram os maiores desafios.

“Toda aquela preocupação que permeia a insegurança de uma mudança é sempre válida. E nessa mudança, não foi só no trabalho, foi na minha vida toda. Eu me surpreendi positivamente com o povo daqui, que me acolheu realmente de braços abertos. O paraense é parecido com o baiano, sofredor e batalhador, mas que está sempre se sentindo ótimo, como eu digo sempre”, explica.

Ademais, Mariana conta como tem feito para melhorar sempre: conhecer a cidade e seus segredos. “Todos os dias, eu penso em lugares para ir, lugares para conhecer, peço para fazer matérias. Os hábitos daqui são diferentes de Salvador”, explica.

Continuando, Mariana fala do que comenta todo dia: violência. Em Belém, proporcionalmente, a jornalista informa que os assassinatos são maiores do que o Rio de Janeiro, que vive uma crise na sua segurança.

A violência em Belém por Mariana Sena

“Os números são muito altos em relação a violência, né? Não tão diferentes de Salvador, mas muda bastante como são os crimes. Aqui as pessoas são mais inconsequentes, digamos assim, né? Mata-se muito aqui e por nada. Eu fiz uma comparação, e proporcionalmente, aqui tá pior que o Rio de Janeiro. Inclusive em morte de policiais”, finaliza Mariana.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio