Band Triângulo nega acusações de assédio moral feitas por Ricardo Martins

Publicado há 2 anos
Por Neuber Fischer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ricardo Martins, ex-apresentador do Minas Urgente – 1ª Edição, da Band em Uberlândia, foi demitido da emissora. Então, inconformado com a dispensa, ele decidiu fazer um vídeo na rede social, no qual acusa seu ex-chefe Josuá Barroso de assédio moral. Assim, a publicação viralizou e se tornou pauta para os sites que cobrem TV.

Veja: Após ser demitido, apresentador da Band grava vídeo fazendo acusações ao seu ex-chefe

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Band Triângulo emitiu um comunicado oficial no qual defende o gerente de jornalismo Josuá Barroso. Na mensagem eles afirmam “ser desnecessário tentar explicar cada um dos pontos das acusações feitas”. Além disso garantem que “nenhuma prova de assédio, conduta irregular ou qualquer outro tipo de evidência foi apresentada.”

Leia o comunicado na íntegra:

“Tudo o que temos a declarar é que depois de mais de 1 ano de contrato, a partir de hoje, 04/09/2018, o jornalista Ricardo Martins não é mais apresentador do Minas Urgente 1a edição.

A ele desejamos toda a sorte e sucesso em sua jornada.

Sobre as declarações contidas no vídeo, entendemos ser desnecessário tentar explicar cada um dos pontos das acusações feitas. Não porque não temos algo a declarar. Mas por que neste momento, esta discussão pública não traz nenhum benefício as partes envolvidas. Mais do que isso – é também um desrespeito aos demais colegas não citados, e que conjuntamente, produzem nosso jornalismo diário. São eles nossos editores, repórteres, cinegrafistas, produtores e demais apresentadores desta casa.

Reiteramos nosso respeito à nossa equipe, aos colegas e às instituições citadas, e à todas as demais não mencionadas.

Lembramos ainda que a Band Triangulo tem uma trajetória de ações que demonstram claramente que nada disso é verdade.

1) não existe qualquer tipo de perseguição ao MP. Nunca houve e nunca haverá. Temos absoluto respeito pelas instituições. Trata-se apenas de uma matéria na qual ele participa como repórter, exibida em um programa apresentado pelo mesmo.

Não houve qualquer tipo de pressão por parte da emissora para força-lo seja na produção da matéria, seja na apresentação do programa.

Ao contrário – temos provas que serão juntadas ao processo que comprovam a preocupação do Ricardo em não ser afastado da reportagem.

Ele inclusive participou pessoalmente da produção da mesma e ainda acompanhou todo o trabalho do editor. Uma de suas justificativas para o briga com o gestor é inclusive uma versão que se fez necessária, com menor duração.

2) Ao contrário das declarações dele, nenhuma prova de assédio, conduta irregular ou qualquer outro tipo de evidência foi apresentada. Tudo gira em torno das teorias que ele mesmo cria.”

O motivo do desentendimento entre Josuá Barroso e Ricardo Martins

Toda a confusão, que culminou no vídeo cheio de acusações e em um boletim de ocorrência na Polícia Militar, teve um começo. Divergências editoriais entre o repórter e o gerente de jornalismo, teriam sido o motivo do desentendimento. No caso, Ricardo Martins defendia que sua reportagem deveria ter um determinado tamanho e Josuá Barroso afirmava que deveria ser menor. Assim, vale ressaltar que esse tipo de divergência entre repórter e editor é uma situação corriqueira em qualquer redação, mas normalmente não termina com essa gravidade.

O gerente de jornalismo teria ouvido as alegações do repórter para manter o tamanho da reportagem. Mas decidiu que de fato o material deveria ser reduzido, sem perda de qualidade, por questões editoriais e de tempo. Contrariado, Ricardo não aceitou as imposições de seu superior e o climão se instalou na Band.

Então, a atitude do chefe, somada a uma suspensão de dois dias da emissora por mau comportamento e sua posterior demissão, teriam sido o estopim para a crise. Logo, enfurecido, Ricardo Martins acusou o chefe de assédio moral.

Em defesa de Josuá Barroso, segundo o site Notícias da TV, outros funcionários da emissora negam as acusações de Ricardo Martins. Eles afirmam que o gerente de Jornalismo tem um perfil austero no trabalho, cobra por resultados, mas que não pratica assédio contra a equipe.

Reformulações na Band

A demissão de Ricardo Martins, com o aval de Luiz Eduardo Souza, diretor da Band Triângulo, acontece em uma fase de reformulações na emissora. A afiliada da Band em Minas Gerais vem contratando novos nomes para reforçar seu time.

Ainda segundo o site Notícias da TV, o diretor de jornalismo enaltece a boa relação com Ricardo durante o tempo que ele trabalhou na emissora. “Ao invés de falar o que fez o Ricardo em sua saída, prefiro dizer que foi uma relação que teve muito êxito durante quase um ano e meio e que ela, infelizmente, não terminou da forma como gostaríamos. E que respostas aos apontamentos que ele fez no vídeo serão discutidas depois pelo meu departamento jurídico”, afirma.

Com a saída de Ricardo Martins, enquanto a emissora não contrata um novo profissional, Amarildo Maciel passa a comandar interinamente o Minas Urgente 1ª Edição.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio