Aruanas é exibida na Globo após ser lançada para mais de 150 países

A produção conta a história de ambientalistas que se arriscam pela causa

Publicado há 9 meses
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quatro mulheres, integrantes de uma ONG, que arriscam suas vidas ao investigar uma quadrilha de crimes ambientais na Amazônia. Esta é a trama por trás de Aruanas. A primeira temporada da série, inédita na TV aberta, estreia na próxima terça-feira (28), na TV Globo, após Fina Estampa.

Uma produção original da Globo exclusiva para o Globoplay, em coprodução com a Maria Farinha Filmes, a obra – que já tem a segunda temporada garantida – foi lançada globalmente em 2019, chegando a mais de 150 países, e chamou a atenção de representantes de organizações internacionais que são referência em Meio Ambiente e Direitos Humanos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Sempre desejamos chegar a mais pessoas para ampliar a reflexão sobre este planeta e os problemas que ele hoje enfrenta. Aruanas é uma obra urgente que reforçou seu propósito em toda sua criação e produção, como o protagonismo feminino dentro da trama e por trás das câmeras, conciliando o que melhor existe em tecnologia, recursos humanos e respeito ao meio ambiente em sua produção”, afirma Marcos Nisti, um dos autores do seriado.

Na série de ficção livremente inspirada em fatos reais, as ativistas Luiza (Leandra Leal), Natalie (Débora Falabella), Verônica (Taís Araújo) e Clara (Thainá Duarte) precisam desvendar uma teia de segredos enquanto lidam com seus dramas pessoais. No elenco estão ainda nomes como Camila Pitanga e Luiz Carlos Vasconcelos.

Escrito por Estela Renner e Marcos Nisti, o thriller ambiental traz aventura, suspense e o debate sobre a preservação da biodiversidade em 10 episódios, gravados na região da floresta Amazônica e em São Paulo. A série conta com direção artística de Carlos Manga Jr, direção geral de Estela Renner, parceria técnica do Greenpeace e Pedro de Barros colabora com o roteiro.

“Por trás de trazer drama, entretenimento e uma grande obra de ficção, a gente tem um desejo profundo de fazer com que essa série inspire cada um de nós a fazer um gesto ativista. A gente tem uma certa urgência em deixar de aquecer o planeta”, afirma Estela Renner. 

“Eu acho extremamente necessário que a gente use a dramaturgia para abordar temas pungentes, que falam diretamente com a nossa sobrevivência”, completa Carlos Manga Jr. O diretor artístico conta, ainda, que um dos maiores desafios para a realização da série foi tentar ser fiel ao falar de pessoas que arriscam a vida.

A série contou ainda com o apoio de algumas das maiores e mais importantes organizações sociais de direitos humanos e ambientais do mundo, como Anistia Internacional, WWF-Brazil, Global Witness, UN Environment, UN Women, Open Society Foundations, Instituto Betty & Jacob Lafer, Rainforest Foundation, 350.org, Instituto Socioambiental, IPAM, SOS Mata Atlântica, IMAZON, Conectas, Justiça Global, ISER, Greenfaith e APIB.

Acompanhando a exibição dos episódios na TV, semanalmente, depoimentos inspiradores de ativistas da vida real serão publicados nas redes sociais da Globo, como parte da plataforma REP – Repercutindo Histórias.

A cada semana, o público terá oportunidade de conhecer a trajetória de um personagem e seu envolvimento com temas alinhados com os apresentados na série, como meio ambiente e direitos humanos. Todos os episódios do primeiro ano estão disponíveis na íntegra no Globoplay para assinantes.

As Aruanas

Cuidar. Preservar. Resistir. É esse o lema das figuras que estão por trás da ONG ambiental Aruana. Determinadas, guerreiras e idealistas, Luíza (Leandra Leal), Natalie (Debora Falabella), Verônica (Taís Araújo) e a jovem Clara (Thainá Duarte) assumem a responsabilidade de investigar as atividades suspeitas de uma mineradora que atua na fictícia cidade de Cari, na Amazônia.

Por lá, fatos misteriosos e preocupantes acontecem: pessoas adoecendo sem motivo aparente, assassinatos e ameaças aos povos indígenas, e pedidos de socorro anônimos. Os sinais de que algo está errado são mais do que suficientes para chamar a atenção das ativistas, que, seguindo a própria intuição e linha investigativa, formam um quebra-cabeça e descobrem um grande esquema de crimes ambientais, envolvendo garimpos clandestinos e uma importante mineradora nacional, liderada por Miguel (Luiz Carlos Vasconcelos).

Além do árduo trabalho, Luíza, Natalie, Verônica e Clara carregam os problemas e dramas de suas próprias vidas, muitas vezes entrelaçadas aos acontecimentos do ambiente profissional.

Quem são elas


 Luiza (Leandra Leal)
 

Entre as três fundadoras da ONG ‘Aruana’, é a personificação da ativista de confronto e aventura. Destemida e impulsiva, Luiza se coloca por diversas vezes em situações de risco. Mãe de Yan (Pedro Guilherme), se divide entre o filho e as causas ecológicas, mas muitas vezes, sem querer, acaba colocando o garoto em perigo ou deixa a maternidade para segundo plano. E por tudo isso, entra em constante atrito com o ex-marido Gilberto (Samuel Assis).

“Aruanas é uma trama atual, que fala sobre uma questão muito relevante, a vida de ativistas. E apresenta esses ativistas com toda a sua complexidade, com todos os seus problemas, como seres humanos, que têm essa paixão, esse ideal de lutar por um mundo melhor. É uma série que traz esperança e ação”Leandra Leal.


Natalie (Débora Falabella) 

Jornalista e apresentadora de um programa de televisão, se divide entre a ONG e o trabalho, que por muitas vezes usa como veículo para denúncia de crimes ambientais, o que lhe causa problemas com o chefe Sheik (Bruno Padilha). É casada com Amir (Rômulo Braga), mas vive uma profunda crise matrimonial após sofrer um aborto, em uma gravidez avançada.

“Poder falar da questão ambiental, misturando entretenimento e chegando próximo das pessoas é um valor incrível dessa série. Me sinto muito orgulhosa de estar nesse projeto. É uma série que vai entreter e fazer pensar”, Débora Falabella.

Verônica (Taís Araújo) 

Advogada de grande destaque, trabalha em um escritório, mas é extremamente envolvida com as causas da ONG. Sempre muito séria, obedece às leis e sistemas e frequentemente repreende as amigas por agirem de maneira impulsiva e colocarem os casos em risco. Guarda um grande segredo que irá abalar sua amizade com Natalie (Débora Falabella).

“Estou muito feliz pela estreia de ‘Aruanas’. Eu acredito muito nesse projeto e sempre fiquei ansiosa pela chegada da série também na TV aberta porque é muito importante. É um tema fundamental, que diz respeito a todos nós”, Taís Araújo.

Clara (Thainá Duarte) 

Estagiária da ONG, inicialmente é menosprezada pelas ativistas e sua primeira luta é para que seja aceita entre elas. Conta com a ajuda do melhor amigo André (Vitor Thiré) e de Falcão (Bruno Goya) para entender melhor os trâmites e ações da Aruana. Chega em São Paulo sem nada, após fugir de Ramiro (Rafael Primot), um namorado abusivo e violento.

“Estamos felizes com a ‘Aruanas’ passando na TV aberta, pois nos possibilita levar mensagens transformadoras para ainda mais pessoas. As temáticas levantadas na série trazem novas reflexões e aprendizados sobre a nossa relação com o meio ambiente e o nosso posicionamento como indivíduos a respeito dessas questões”, Thainá Duarte.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio