Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Vem aí

Antonio Calloni e Malu Galli são os pais de Larissa Manoela em Além da Ilusão

Trama é a substituta de Nos Tempos do Imperador

Publicado em 03/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

De perfil severo e autoritário, o poderoso juiz Matias Tapajós – personagem de Antonio Calloni na nova novela das seis, Além da Ilusão, substituta de Nos Tempos do Imperador – não mede esforços para alcançar seus objetivos, principalmente os que têm relação com a sua família.

Sua esposa, a corajosa e decidida Violeta, interpretada por Malu Galli, é uma mulher forte, zelosa e que não esmorece quando o destino lhe impõe grandes desafios que vão mudar completamente os rumos da sua vida e de sua família.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A Violeta é uma mulher como nós, dos dias de hoje, porém vivendo nos anos de 1940: uma mulher à frente do seu tempo, que quebra paradigmas, assim como tantas e tantas mulheres que abriram caminhos ao longo da história. Ela é corajosa, firme e amorosa, e um tanto explosiva também (risos). Me inspirei em todas nós para essa personagem”, explica Malu Galli.

O casal tem duas filhas, Elisa (Larissa Manoela) e Isadora (Sofia Budke/Larissa Manoela). A voluntariosa Elisa, predileta do pai, vive dos mimos que recebe e dos sonhos típicos de uma jovem romântica. A alegre Isadora é uma menina encantadora, que mais tarde se tornará uma mulher independente, moderna e dedicada ao trabalho.

Elas têm um enorme carinho por Augusta dos Santos, personagem de Olívia Araújo, que dedicou sua vida à família e, especialmente, à criação das meninas. Antes de cuidar da família Tapajós, Augusta foi governanta na casa de Afonso Camargo (Lima Duarte), avô de Elisa e Isadora, onde agora vive sua irmã mais velha, a cozinheira Manuela (Mariah da Penha).

A Augusta é uma mulher simples, de caráter, com valores bem definidos. Apesar de ter uma vida sem muitas escolhas, ela optou por ser afetuosa e amorosa. Entre Augusta e Violeta (Malu Galli), há uma relação de admiração e respeito. Com o Matias, um homem de poder, é uma relação profissional de patrão e empregado. E com as filhas do casal, é o mais puro afeto“, explica Olívia Araújo.

Confira a seguir as entrevistas com Antonio Calloni, Malu Galli e Olívia Araújo, que contam detalhes sobre seus personagens e as expectativas para a estreia da novela:

Entrevista com Antonio Calloni

Como você define o Matias? Em quem se inspirou para fazê-lo?

O Matias é um homem extremamente ético, justo, e tem um grande defeito: ele se julga incapaz de errar e de perder. São os dois grandes e graves defeitos que ele tem. Para fazê-lo, eunão me inspirei em ninguém especificamente, mas nas figuras que são muito poderosas e se julgam acima dos outros. Acho que exemplos a gente tem vários, no Brasil e no mundo. Mas eu me inspirei principalmente, como sempre, e digo isso de maneira muito humilde, na minha criatividade, que é sempre o melhor caminho.

Qual sua expectativa para esse trabalho?

A minha expectativa é das melhores. Eu estou tendo um prazer imenso em fazer esse personagem; eu vou gravar feliz da vida, com muita vontade, muito desejo, muita dedicação. Estou amando, é essa a palavra, estou amando fazer esse personagem.

Comente sobre a relação de Matias com sua família.

O Matias tem uma relação muito respeitosa com a Violeta, e uma relação com as filhas muito amorosa, dentro dos parâmetros dele, claro; e tem uma predileção evidente pela Elisa, a grande paixão da vida dele.

Matias começa a ter delírios após a morte de Elisa. Como tem se preparado para viver essa fase do personagem?

Bom, ser delirante, para um ator, não é muito difícil (risos). Mas é uma delícia, porque ele não tem que ter uma simetria, ele pode reagir da maneira que quiser. O delírio permite isso. E é uma homenagem, de certa maneira, que eu estou fazendo a minha avó. Ela tinha uma irmã gêmea na Itália, e à época não havia esse diagnóstico tão preciso de esquizofrenia, e só eu conseguia me comunicar com ela, quando era pequeno; é uma história muito bonita, que eu tive com a minha avó, e vou dedicar esse personagem a ela. 

Entrevista com Malu Galli

Como você define a Violeta e em quem se inspirou para fazê-la?

A Violeta é uma mulher como nós, dos dias de hoje, porém vivendo nos anos de 1940: uma mulher à frente do seu tempo, que quebra paradigmas, assim como tantas e tantas mulheres que abriram caminhos ao longo da história. Ela é corajosa, firme e amorosa, e um tanto explosiva também (risos). Me inspirei em todas nós para essa personagem.

Qual sua expectativa para esse trabalho?

Espero que a novela toque os corações das pessoas e promova uma boa reflexão sobre a correspondência entre os anos 40 e os dias de hoje.

Como é a relação da Violeta com a família?

A relação da Violeta com o Matias, por exemplo, é uma relação de um casamento tradicional, da época. Eles se dão bem, mas é um casamento mais morno, mais vida em família. É um casamento bem padrão. E as relações dessa família de uma maneira geral vão sofrer um abalo logo nos primeiros capítulos, então todos vão ter que reencontrar caminhos.

Comente sobre a relação de Violeta com Eugênio.

Violeta e Eugênio são um casal bem aos moldes das comédias românticas dos anos 40 e 50. Eles vão viver situações muito engraçadas e muito emocionantes também.  E vão romper padrões da época. 

Entrevista com Olívia Araújo

Como você define a Augusta e em quem se inspirou para fazê-la?

A Augusta é uma mulher simples, de caráter, com valores bem definidos. Apesar de ter uma vida sem muitas escolhas, ela optou por ser afetuosa e amorosa. Essa personagem é resultado de muitas mulheres que admiro.

Qual sua expectativa para esse trabalho?

A expectativa é a melhor! É uma graça poder voltar a trabalhar, mesmo durante essa pandemia que segue. A história é linda, encantadora. Acredito que vá proporcionar bons momentos para o público. A mim, já tem trazido momentos lindos com os meus amigos de elenco e com a equipe.

Comente sobre a relação de Augusta com a família Tapajós.

É uma relação muito conhecida de nós, brasileiros, até hoje. A Augusta, assim como a irmã, Manuela (Mariah da Penha), nasceu no engenho da família Camargo e foi criada junto com as irmãs Violeta (Malu Galli) e Heloísa (Paloma Duarte), filhas de Afonso (Lima Duarte). Violeta se casa e Augusta se torna governanta da família Tapajós. Entre Augusta e Violeta há uma relação de admiração e respeito. Com o Matias, um homem de poder, é uma relação profissional de patrão e empregado. E com as filhas do casal é o mais puro afeto.

Comente sobre a relação de Augusta com Davi (Rafael Vitti).

Com o Davi, a Augusta desenvolve uma relação de amizade, afeto e muito carinho. Reconhece nele um bom caráter, valores, e se solidariza com ele após a morte da Elisa, quando foi acusado e condenado injustamente e ela nada pode fazer naquele momento, temendo pela própria vida. Quando se reencontram, Augusta resolve ajudá-lo a provar sua inocência.

Além da Ilusão é criada e escrita por Alessandra Poggi, com direção artística de Luiz Henrique Rios. A obra é escrita com Adriana Chevalier, Letícia Mey, Flávio Marinho e Rita Lemgruber. A direção geral de Luís Felipe Sá e direção de Tande Bressane, Jeferson De e Joana Clark. A produção é de Mauricio Quaresma e a direção de gênero é de José Luiz Villamarim. 

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....