A divertida Quatro por Quatro estreava há 23 anos

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 24 de outubro de 1994, entrava no ar na Globo a novela Quatro por Quatro. Um verdadeiro clássico do horário das sete, a trama de Carlos Lombardi virou mania entre os espectadores ao narrar a saga das quatro amigas Abigail, Auxiliadora, Tatiane e Babalu, que se uniam para se vingar de seus respectivos homens Gustavo, Alcebíades, Fortunato e Raí.

Na trama, a psicóloga dondoca Abigail (Betty Lago) é casada com Gustavo (Marcos Paulo), um famoso médico que a trata feito gato e sapato. A moça faz de tudo para manter o casamento, mas, após ser humilhada por Gustavo, Abigail resolve que vai dar a volta por cima e se vingar dele. Num acidente de trânsito, ela se envolve numa briga com Auxiliadora (Elizabeth Savalla), Tati (Cristiana Oliveira) e Babalu (Letícia Spiller), e todas as quatro vão parar na cadeia. Lá, elas descobrem algo em comum: todas estão passando um perrengue por conta de seus homens. Alcebíades (Tato Gabus Mendes) trocou Auxiliadora por uma mulher mais nova, enquanto Tati foi abandonada no altar pelo noivo Fortunato (Diogo Vilela) e Babalu pegou Raí (Marcello Novaes) na cama com outra mulher. Elas, então, decidem ajudar uma a outra em seus planos de vingança.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Paralelamente, Bruno (Humberto Martins) é um médico que vive frustrado por não ter conseguido salvar a vida da mulher, Mércia (Helena Ranaldi), quando ela dava a luz a filha deles, Ângela (Tatyane Goulart). Traumatizado, ele entregou a menina ao primo Gustavo e refugiou-se na Amazônia, onde passou muitos anos. No entanto, quando Suzana (Helena Ranaldi), irmã de Mércia, surge na vida dele e passa a seduzi-lo, o passado volta à vida de Bruno, que decide retornar ao Rio de Janeiro e reconquistar a filha, que também sonha em conhecê-lo. Para isso, ele terá que enfrentar Gustavo.

Com esta trama que mesclava melodrama e comédia rasgada e irônica, Carlos Lombardi conquistou a audiência em Quatro por Quatro, fazendo desta novela um dos maiores sucessos do horário das sete dos anos 1990. A trama projetou duas de suas protagonistas, Betty Lago e Letícia Spiller. A primeira, ex-modelo, havia acabado de estrear na TV, na minissérie Sex Appeal, e encarou de cara uma protagonista, dondoca exagerada e com os dois pés na comédia. Betty fez uma Abigail inesquecível e conquistou o Troféu Imprensa de revelação de 1994. Já a ex-paquita Letícia Spiller também encarava sua maior personagem depois de uma passagem pela novela Despedida de Solteiro, e se deu muito bem. A popular manicure Babalu virou mania, e seu visual composto por saias e shorts curtos, blusas ciganas, tiaras de miçangas, margaridas no cabelo, sandálias plataformas com meias, e unhas pintadas de vermelho, foi bastante imitado na época.

O par romântico formado entre Babalu e Raí também caiu nas graças do público, além de ter sido levado para a vida real. Letícia Spiller e Marcello Novaes começaram a namorar durante a novela, se casaram e tiveram um filho. Segundo o site Memória Globo, as expressões usadas por Babalu foram repetidas pelos espectadores, como “bofe” (para se referir aos homens), “bicha” (para se referir às mulheres), “mona” (mulher, amiga, forma de um gay chamar o outro), “desaquenda” (abandonar, deixar de lado, sair de perto, esquecer, deixar em paz), “babado” (história, fofoca), “é uó” (feio, ruim), “erezinho” (criança).

Em entrevistas, Carlos Lombardi revelou que um dos problemas que teve durante Quatro por Quatro foi a decisão do ator Diogo Vilela de deixar a produção. Segundo o novelista, Fortunato era um personagem que ele gostava muito, um legítimo azarado, mas o ator não compartilhava da mesma opinião e ficou insatisfeito com o espaço que tinha na trama. Ele, então, pediu para sair, e Lombardi se viu obrigado a mudar a trajetória de Tati durante a trama.

Destaque para a abertura, que mostrava um homem perseguido por uma esgrimista que se transformava em quatro ao longo da luta. O homem em questão era o capoeirista Beto Simas, que chegou a aparecer na trama. Ele é o pai dos atores Bruno Gissoni, Rodrigo Simas e Felipe Simas. O encerramento também era interessante, pois resgatava quatro cenas importantes do capítulo, dividindo a tela em quatro.

Quatro por Quatro foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo entre 31 de agosto de 1998 e 12 de março de 1999. Também foi reprisada pelo canal Viva em sua primeira grade de programação, entre 19 de maio de 2010 e 08 de abril de 2011, na faixa das 15h30. Quatro por Quatro teve 233 capítulos e foi escrita por Carlos Lombardi, com colaboração de Ronaldo Santos, Maurício Arruda e Arianne Souto, com direção-geral de Ricardo Waddington, Alexandre Avancini e Luiz Henrique Rios, e direção de núcleo de Ricardo Waddington. Foi a última telenovela exibida entre a novela das seis e o Praça TV 2ª Edição.

Leia também:

Há dez anos, Record lançava o game show O Jogador

Relembre o encontro das quatro mulheres vingadoras de Quatro por Quatro:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio