Marianna Armellini fala sobre a volta das gravações de Salve-se Quem Puder: “Estamos nos habituando”

A estrela disse como está lidando com a pandemia do coronavírus

Publicado há 17 dias
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Responsável por viver a Verônica de Salve-se Quem Puder, trama das 19h de Daniel Ortiz que retomou recentemente as gravações após um período de paralisação por causa do coronavírus, Marianna Armellini terá um novo desafio.

Após a saída de Sabrina Petraglia, que está grávida, Marianna vai interpretar também Marlene, a irmã gêmea de Verônica. Em entrevista ao Observatório da TV, a estrela fala sobre a volta ao batente, a pandemia e o retorno que possui do público.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quem é a Marianna Armellini?

Estou todos os dias atualizando essa resposta, conforme vou amadurecendo, me conhecendo e me aceitando mais. Basicamente, alguém que ama o que faz, que ama contar histórias, fazer as pessoas rirem e se emocionarem, que adora falar e escutar, que tem os melhores amigos do mundo e um restinho de fé na humanidade.

Qual foi a maior lição que você tirou durante esse período pandêmico?

Ainda estou tirando lições…foram muitos sentimentos, mas acho que a maior lição foi aprender cada vez mais a me escutar e me respeitar, entender quais são meus limites, não me obrigar a ser perfeita, não me culpar por não dar conta de tudo.

Você sentiu algum receio em relação a esse período em que você ficou em quarentena?

Claro, ainda sinto! Fora o medo de perder pessoas próximas, fora a dor de ver tantas vidas negligenciadas, também tem o receio de como o meio artístico vai sobreviver a isso tudo. Como e quando vamos voltar aos teatros, às praças, aos circos…como estaremos até lá, quem é esse público que vai voltar, se vai voltar…muitos questionamentos ainda estão em aberto.

Como está sendo ‘reencontrar’ com a Verônica em um ‘novo mundo’?

Está sendo ótimo e diferente! Primeiro que não foi um ‘início’ de novela, foi uma retomada, então ao mesmo tempo em que já conhecíamos esses personagens, essa história, essa equipe, estávamos há meses sem encontrá-los, houve um ‘esfriamento’ desse cotidiano. E de repente a gente volta sem poder abraçar, sem poder falar de perto, bater texto no camarim, tudo que tornava aquilo tão ‘aconchegante’ dentro de uma engrenagem imensa que é fazer uma novela. Ainda estamos nos habituando a esse novo modo de fazer, mas me sinto extremamente segura dentro dos protocolos adotados, estamos muito atentos e fazendo o máximo pra tudo fluir bem dessa nova maneira.

Você voltou a gravar as suas cenas nos Estúdios Globo. Sentiu algum tipo de insegurança em relação a composição da personagem? Já que a Verônica é uma personagem de composição. Já que você ficou muito tempo sem ‘exercitar’ esse papel…

Senti sim. Foi muito tempo longe, claro que algumas coisas ‘já estão’ com a gente, mas houve esse ‘resfriamento’ do corpo, das relações com os outros personagens – e não pudemos encontrar ninguém antes de voltar a gravar, então ficou mais lento esse processo de ‘retomar’ Verônica. Mas acho que é como andar de bicicleta, a gente sente esse medo de não saber, mas logo tudo volta e saímos pedalando.

Nesse segunda fase, você terá um novo desafio, já que interpretará Marlene, irmã gêmea de Verônica. Como você recebeu essa notícia?

Eu amei saber que ia fazer as irmãs! Claro, uma grande responsabilidade, mas também uma grande oportunidade de exercitar meu ofício. Ter uma personagem cômica e uma vilã no mesmo projeto é algo lindo, espero atender às expectativas do autor, da direção, e especialmente do público. E claro, poder dizer que tive meu momento ‘Ruth e Raquel’. Sem jamais achar que chegaria aos pés da deusa Gloria Pires.

Quem é a Marlene?

Estou descobrindo ainda! Ela é a irmã gêmea da Verônica, que chega para ajudar a madrinha Dulce (Marilu Bueno) com os hóspedes do México que ela vai receber. Marlene é muito religiosa, assim como a madrinha, mas esse seu jeito esconde um fogo interno que é difícil de controlar. Ela não tem nada a ver com o jeito vingativo e fechado da irmã.

Marlene vai trazer você para o lado cômico. Já que Verônica, era o inverso disso?

Exatamente, vou poder brincar com esses dois lados.

A trama de Verônica foi modificada devido a gravidez de Sabrina Petraglia. Você sentiu algum tipo de frustração devido a isso? Já que Verônica será presa, após tentar matar a filha de Hugo (Leopoldo Pacheco)…

Não senti nenhuma frustração, estamos sujeitos à esse tipo de mudanças quando fazemos uma obra aberta, como uma novela! Não é a primeira vez que a trama de um personagem meu é modificada por algum motivo e provavelmente não será a última! E fico feliz que tenha sido por algo tão lindo quanto um bebê de uma amiga .

Nas redes, as pessoas querem que Verônica se dê mal.. O final dela, foi o que você imaginou?

Mais ou menos, sim. Pelo menos nas novelas, os vilões têm que se dar mal…as pessoas querem que a justiça seja feita, nem que seja na ficção.

Qual é o seu maior sonho?

Continuar a viver do meu ofício, que nunca me faltem saúde, vontade e oportunidades para trabalhar e realizar.

O que tira você do sério?

A desigualdade social abissal do nosso país e a negligência dos nossos governantes.

Eu acompanhei várias lives com você .. Você leva jeito para apresentar um programa.. Nunca pensou nisso não?

Não tenho projetos nesse sentido, mas não acharia ruim uma experiência nesse lugar. Não acho que seria fácil, acho que é realmente um talento apresentar bem um programa. Quem sabe um dia?

Se você pudesse deixar uma mensagem para a posteridade … Qual a mensagem você deixaria ?

Nada é estanque, tudo muda o tempo todo, ninguém é imune a isso, nem o mais rico dos seres humanos, então estejam prontos e sejam empáticos.

Qual é o mundo que você sonho para a humanidade?

Hoje em dia já acho uma utopia, mas seria um mundo verdadeiramente mais igualitário – isso inclui gêneros, sexualidades, raças, classes sociais. Um mundo abundante em oportunidades para todos, mas pra isso precisamos topar mudanças estruturais – e geralmente as pessoas querem resultados sem precisar mudar ou perder algo, perder privilégios, status, dinheiro, etc. Um mundo onde água, saúde, arte e educação não faltasse a nenhum ser humano.

Quais são os seus projetos pós novela e pós pandemia?

Estou tão ansiosa pra isso passar, pra essa vacina chegar, pra estarmos todos bem de novo, que meu projeto é ficar viva e saudável até lá. Porque quero muito voltar ao teatro, esse seria meu primeiro grande projeto. E quero me mudar para uma casa para meu cachorro ter mais espaço pra correr – e quem sabe adotar mais bichos.

* Entrevista realizada pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais