Giulia Bertolli fala sobre papel em Malhação: “Vou continuar estando feliz, independente de comentários”

Publicado há 2 anos
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Estreante nas novelas, Giulia Bertolli, filha da atriz Lilia Cabral está no elenco de Malhação: Toda Forma de Amar. No folhetim ela será Meg, uma garota que namora com Guga (Pedro Alves), mas que acabará passando por um susto ao ver o namorado revelar que gosta de outro garoto.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Giulia contou detalhes da sua personagem e ainda falou sobre como lida com comentários por ser filha de uma atriz de sucesso na Globo. Confira:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como está sendo essa experiência?

“A experiência está sendo incrível, acho que está sendo uma das melhores coisas que eu estou vivendo nos últimos anos. É muito um sonho, desde pequenininha eu sempre sonhei em estar fazendo alguma coisa, estar fazendo novela e eu acho que estar fazendo de fato, é muito emocionante. E a equipe é maravilhosa, todo mundo é incrível.”

Você já faz teatro há um tempo, porque só agora você decidiu que seria sua hora?

“Os meus pais investiram, eles me ensinaram muito que a educação era muito importante. Então todo o tempo que eu gastei antes de fazer teatro, de fazer uma faculdade de artes cênicas, foi justamente para me educar. Eu acho que a profissão de artista, é uma profissão muito rica, mas ao mesmo tempo de responsabilidade, porque como atriz você interpreta vidas. Eu acho que é sempre bom a gente ter um momento para estudar, para estar preparado para o que está por vir. Agora eu terminei as duas faculdades e encerrei um ciclo.”

Nova fase

Como é para você estar onde está agora?

“Para mim é vida (risos). Eu estou muito feliz, vou continuar estando feliz, independente de comentários ou não. Sou muito agradecida por ter a mãe que eu tenho, muito agradecida de ter ela do meu lado. Ela sempre me dá grades conselhos, eu sempre falo que acho que ela foi a minha maior faculdade. Tudo o que eu aprendi ao longo da vida conversando com ela, foram anos de ensinamentos que talvez eu não teria aprendido se não fosse filha dela.”

Em O Sétimo Guardião você fez um embate junto com a sua mãe e a internet pirou. Você esperava isso?

“Eu achava que seria uma cena bonita, justamente por ser eu e a minha mãe. Mas as pessoas sempre trataram eu e a minha mãe com muito carinho, então eu só tenho a agradecer por todos os comentários, pelas mensagens que eu recebi de amigos e pessoas que eu também não conhecia. Teve uma repercussão que eu não esperava e eu fiquei muito feliz.”

Lília Cabral

Sua mãe te deu algum conselho para esse trabalho?

“Ela só falou o que ela sempre fala, para ter compromisso, ser dedicada, ter responsabilidade, mas ao mesmo tempo ser feliz. Porque eu acho que essa profissão tem alguns poréns, mas acima de tudo eu faço uma coisa que eu amo muito, então é para ser feliz acima de tudo, com toda a responsabilidade que ser feliz envolve.”

Você chegou a fazer testes antes de Malhação?

“Para outra não. Eu fiz O Sétimo Guardião porque fiz o cadastro da Globo, para fazer participação tinha que fazer o cadastro. Depois que eu fiz o cadastro me chamaram, a Dani Pereira me chamou para fazer a seleção dos testes. Depois de todas as fazes concluídas eu ganhei o papel.”

Na trama a sua personagem namora um menino, que vai descobrir que na verdade gosta de outro menino. Você conversou com meninas que viveram a mesma coisa?

“Sim, claro. Eu conversei com uns amigos que eu tinha, vi muitas referências em filmes e séries. Na própria preparação para a novela a gente teve algumas palestras, a gente leu sobre muita coisa.”

Outros olhares

Como você reagiria em uma situação dessa?

“Eu nem sei. Acho que se fosse uma pessoa que eu gostasse muito e digamos assim, se a decisão dela estivesse realmente fazendo ela feliz, por mais que doesse no início, eu acho que iria apoiar. Porque no final das contas, pelo menos com o Guga a Meg tem uma relação muito bonita, porque primeiro eles foram amigos e depois começaram a namorar. Então eu não deixaria esvair uma história tão bonita assim.”

Nessa temporada de Malhação, além de você que é filha de uma atriz famosa, tem outros também. Você acha que o preconceito fica maior?

“Por enquanto ouvi um comentário ou outro. Mas eu acho que é um projeto tão bonito, uma história tão legal, que vale tanto a pena ser contada. Eu acredito que se ao final das contas ela for contada bem, eu acho que isso vai diminuindo. Temos que contar uma boa história independente de quem é pai ou mãe, porque os filhos têm uma realidade que é frequente. E eles se apaixonam pela arte tanto quanto os pais.”

Primeira cena

Como foi a sua primeira cena? Bateu uma insegurança ou um frio na barriga?

“Na minha primeira cena eu tremia inteira. Foi uma boa primeira cena para começar, eu comecei fazendo externa na universidade que a gente vai fazer parte. O Adriano que dirigiu, então foi um começo com alguém que você gosta e quer muito trabalhar. Fiz a cena com o Pedro, com a Bia e eu fiquei nervosa, mas você vai gravando e depois que passa… foi ótimo.”

Seu pai é uma pessoa muito reservada. Ele aceitou tudo numa boa?

“Aceitou, o meu pai é uma das pessoas que mais me apoiam nessa vida. Ele sempre tem uma metodologia de o importante é ser feliz, sempre estudar, mas ele ficou feliz e ele ama.”

Você está namorando?

“Sim, há cinco meses.”

O que ele achou de tudo isso?

“Ele levou tudo numa boa também. Ele é ator então tudo facilita.”

Essa história do Guga lembra muito o filme Me Chame Pelo Seu Nome. Teve alguma coisa dele como referência?

“Teve, primeiro que é um filme maravilhoso, então também porque não ter como referência? Mas tivemos sim, é um lindo filme, também por conta da história e por tudo que envolve.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio