“Eu sempre torço pelo casal”, afirma Thiago Fragoso sobre Kyra e Alan em Salve-se Quem Puder

Publicado há 9 meses
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Thiago Fragoso está interpretando um personagem bastante intenso em Salve-se Quem Puder. Na trama de Daniel Ortiz, o ator é Alan, um homem que acabou de perder a mulher e precisa se desenrolar para dar conta de cuidar do pai e de três filhos.

Em conversa com o Observatório da TV, Thiago comentou como está sendo fazer o personagem e também sobre o futuro da novela. Confira:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como está sendo a novela para você?

“A novela está sendo uma delícia, está fazendo um super sucesso e é a primeira novela das sete que eu faço, demorou para desencantar e pegar esse horário. É um gênero que eu gosto muito, é comédia e eu acho um barato. Na questão da vida pessoal, eu sou pai e então posso usar essa referência emocional, essa coisa paternal com as crianças.

Eu gostei muito desse personagem e quis fazer porque ele vai investigar a paternidade.”

Você sabe o motivo que a mulher dele morreu?

“Eu não tenho essa informação, isso só o Daniel (Ortiz) que pode esclarecer.”

Romance

Agora chegou a Kyra/Cleyde (Vitória Strada) e ela desencanta esse homem triste. Como está sendo esse envolvimento?

“É um amor que vai surgindo aos poucos, ele está nesse luto há um ano que a esposa dele morreu. Um ano passa muito rápido e ele ainda não conseguiu se libertar, não conseguiu começar a olhar para frente… Eu digo que o super-homem não dava conta nessa família, o máximo do Alan não é o suficiente para cuidar da família.

Ele cuida do avô com Alzheimer, três filhos, duas crianças que precisam de muita atenção e o filho mais velho que está saindo da adolescência e que também precisa de atenção. Além de dar conta de trabalhar e sustentar a casa, eu acho isso admirável.”

A Kyra está vivendo uma vida que não é dela e dá a impressão que os dois vão se apaixonar. O que você imagina?

“Tomara, eu sempre torço pelo casal. Eu acho que é um casal muito genuíno, você vê que esse cara não está olhando para fora, é uma pessoa muito infeliz e a Kyra é engraçada, atrapalhada e dentro disso ele também entra um pouco nessa onda. Esse clima de comédia romântica, que é como eles vão se apaixonar, ao que me parece, eu curto muito.

Eu lembro que fiz uma coisa que era mais ou menos nesse esquema em Lado a Lado, era uma relação do Edgar com a Marjorie Estiano que fazia a Laura. Eles tinham muito isso, eram desencontros e desencontradamente eles se apaixonavam.”

Personagens

Você está fazendo mais um advogado, mas é um advogado diferente. Como é que você consegue diversificar?

“As vidas são completamente diferentes, você tem sei lá quantos advogados no Brasil e cada um é absolutamente diferente do outro. Eu digo só que quando acabar a novela, vou fazer a prova da OAB porque eu já estou com experiência, já fiz estágio e tudo.

Eu acho legal pensar o porque acaba tendo essa coincidência, eu devo ter alguma coisa com essa ideia de justiça, com essa ideia do cara que vai lutar contra as opressões, contra as injustiças mesmo. Acho legal que tenha essa identificação, deixa meu coração quentinho.”

Vitória Strada

Como está sendo a troca com a Vitória Strada? E como está sendo para você o reconhecimento do público?

“Eu tento retribuir esse carinho, me deixa muito feliz e me emociona muito. O pessoal está chamando o ship de Alyra, foi uma sugestão que eu fiz. É muito legal porque as pessoas estão todos os dias vendo de coração aberto, tem uma sensibilidade muito bacana. Tem umas coisas que a gente fica brincando, que a gente faz no meio da cena e pensa que ninguém vai perceber aquilo nunca, mas as minhas fãs percebem e falam comigo.

Elas não perdem nada, tudo o que eu faço elas conseguem desvendar e falam comigo. […] Essa coisa da proximidade eu gosto muito, quase que me sinto parte da família. A Vitória é um barato, ela é uma atriz médium (risos), incorpora a personagem. Ela diz que está completamente diferente.

A gente se diverte, ela está fazendo super bem e eu acho que é uma atriz que tem pouco tempo de carreira, mas que é uma cerreira meteórica. É um barato poder ver o desenvolvimento dela e nesse início poder estar junto.”

Dança das cadeiras

O interessante é que a personagem não era para ser da Vitória, já é a terceira vez que acontece isso e dizem nas redes que ela é a melhor segunda opção da TV Globo. Com você também já aconteceu isso?

“É porque sempre tem aquela coisa de falarem que o personagem era de não sei quem, mas na verdade, o personagem é de quem fizer. Comigo já aconteceu muito, inclusive já saiu: ‘Thiago Fragoso substitui…’. Eu falo: ‘Pô, como assim? O cara nem começou a gravar eu estou substituindo?’.

Isso realmente acontece muito e às vezes vocês ficam sabendo e rola umas notinhas, mas na maior parte das vezes vocês não sabem e tem sempre uma dança das cadeiras. São muitos produtos, então demora para você conseguir encontrar e organizar aquilo.”

O filho do Alan vai ter uma situação que começa a sofrer bullying, né?

“A princípio, vai ser por causa do cabelo. Vão começar a zoar o cabelo dele e tal. Mas novela é obra aberta, a gente nunca sabe se vai acontecer mesmo, mas essa é a informação que a gente tem por hora.”

Triângulo amoroso

Tem esse triângulo amoroso, o Bruno (Ferrari) também já fez casal com a Vitória. Você acha que futuramente vai ter uma dúvida?

“Com certeza, tem um tempão de novela ainda e para ter história vai ter que tentar tudo. Provavelmente, eu imagino que em algum momento eles vão ficar juntos e vão se separar… Porque já já vai ser desvendado essa identidade dessas meninas e a partir daí eu não faço ideia de como o Daniel vai levar adiante. Mas quando descobrirem que elas estão vivas, vai levar tudo à tona.”

Quais você acha que são os trunfos do seu personagem para ficar com a Kyra?

“Como personagem é um cara que é muito infeliz, mas que é um cara muito bom e esse tipo de coisa eu acho que é muito emocionante. É um cara muito legal, mas a vida não dá moleza para ele, só que ele não reclama, ele tenta resolver o problema. Eu acho que isso tudo faz com que o Alan seja muito atraente e é uma situação que ele está completamente preso.”

Como é a abordagem das pessoas com você nas ruas?

“Eu pareço com o neto de todo mundo, sobrinho ou filho, é sempre assim. Eu imagino que devo ter o rosto muito comum, porque sempre que eu saio eu sou parecido com uma galera. Essa coisa é muito mais pelo afeto, de gostar daquele cara, daquele figura que eles veem e por isso tem um afeto parecido com o neto, filho sobrinho e aí mistura essa coisa. É muito engraçado.”

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio