“Ela encasquetou com o Eric, e nem percebeu que já gosta de outra pessoa”, diz Mariana Santos sobre Maria Pia em Pega Pega

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sucesso em sua primeira novela, Mariana Santos conversou com nossa reportagem e falou das diferentes fases vividas por sua personagem Maria Pia em Pega Pega. A atriz que ficou nacionalmente conhecida no humorístico Zorra Total, explicou a perda de peso pela qual sua personagem passou, e o que sabe sobre a reta final da trama. Confira:

Leia também: Sergio Marone usa meme do Jornal Nacional para divulgar Apocalipse

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Você aproveitou o shape enxuto da Maria Pia para seguir uma dieta?

Aproveitei a minha personagem, que tinha que dar uma emagrecida, e aproveitei pra minha vida. Porque, por exemplo, a gente quando faz um personagem, tira a vaidade toda, fica a serviço dele. Como a personagem tinha que ter essa mudança, eu achei importante, eu, Mariana, também me reeducar na alimentação, procurei uma médica bacana, e estou fazendo uma alimentação correta. Eu perdi quase seis quilos assim. Sem mistério.

Em quanto tempo?

Ah.. longo! Não foi nada demais. Remédio zero. Tenho pavor dessas coisas. A pessoa seca e depois morre. Vou ficar louca, né? Então, a alimentação, com acompanhamento médico mesmo. Comecei no começo de agosto o processo. Então, foi normal. Dois quilos, um quilo e pouco por mês.

O vídeo engorda e no vídeo, você está ótima, né?

É, sou meia bochechuda e quando emagreci, eu falei: ‘Caramba, agora eu estou com o rosto mais fino’. Porque vai logo pra bochecha meu filho. Um terror!

Agora vamos falar de Maria Pia e Eric. A Maria Pia insiste com o Eric, né? Será que foi ela quem cometeu aquela falha no freio do carro, que matou a esposa dele?

Não sei de nada. Isso eu não sei mesmo. Acho que não. Acho que ela não seria capaz, mas. Novela é novela, né? Tudo pode acontecer! Porque ela tem uma obsessão muito grande nesse homem, né? Uma obsessão quase infantil mesmo. Ela encasquetou com ele na infância, na juventude dela, e ela acha que é o caminho dela. Mas, acho que ela nem percebeu que ela gosta de outra pessoa já, sabe?

O Malagueta é doido nela, né? E ela dá um gelo nele…

É, eles estão com um tesão louco ali, né? Eles estão apaixonados. Então, eles fazem esse jogo de empurra mesmo. Um jogo de chantagem, sedução e não sei o que, mas ela não sacou que ama esse cara ainda. Pra cabeça dela, ela ama o Eric.

Agora a Maria Pia está envolvida em tudo, né? Ela é cúmplice geral. Ela não tem nem como sair da situação, né?

É, ela se envolveu em muita coisa errada. Muita coisa. Vamos ver como vai acontecer agora pra ela, na hora que descobrirem isso tudo, como é que ela vai ficar.

E o que você mais escuta sobre o personagem nas ruas?

As pessoas adoram ela. As meninas adoram ela, e querem defender ela, tem um carinho por ela. Porque eu acho que a Maria Pia é muito humana. Ela erra, sabe? Mas ela não é má. Eu não vejo ela má. Ela fez muita coisa errada, né? Ela tem umas atitudes bem fora da casinha mesmo. Ela tem essa obsessão que beira um pouquinho a loucura, mas eu acho que ela é tão humana, que as pessoas se identificam com ela.

E tem cenas que ela faz também com a cozinheira, que é muito gostoso de ver, né?

Ela não é psicopata, ela tem amor pela Madá. Tem amor pelas pessoas. Ela tem raiva, tem sentimentos à flor da pele, então, isso humaniza muito ela.

E você como telespectadora, qual a sua opinião? O que você acha? Quem é suspeito?

Gente, eu não tenho ideia! Juro por Deus. Porque é tanto mistério nessa novela, que eu estou até perdida. Mas, é interessante, porque a gente vai vendo os capítulos e fala: ‘Nossa, meu pai!; Meu pai que fez isso aqui?; Caramba, meu pai’. É isso!

Você não sabe nada mesmo?

Gente, eu não tenho a menor ideia! Eu juro mesmo. Não estou fazendo média. Eu não sei.

Qual o final que você daria para a Maria Pia? O que você acha que poderia rolar para ela no final?

Maria Pia tem que descobrir que ela se ama, ela tem que ser feliz, e assumir que ama o Malagueta, né? E ela tem que pagar pelo que ela fez também. Como todos os ladrões, eles têm que pagar pelo o que fizeram, eles roubaram, e Maria Pia também errou. Ela foi cúmplice de algumas coisas. Ela fez por amor e tal, e também errou. Mas se realmente ela ama o Malagueta, se a autora fizer que ela descubra isso, e mostrar ao público que é dele que ela gosta, eu acho que ela tem que terminar com ele. Ou de repente quem sabe, o Eric acorde e descobre que a Maria Pia é a mulher da vida dele e se casam e tem gêmeos (risos). Quem sabe? É novela, né?

A Ingrid Guimarães recentemente deu uma entrevista a Tatá Werneck, e disse que ela só era chamada para fazer papel de mulher feia, e tem esses rótulos. Contigo, você que fez muito humor e tal, te rotularam muito como a mulher da comédia e tal?

Eu nunca me preocupei com isso aí, sabia? Eu sempre fui seguindo o fluxo. Sempre trabalhei feliz com os papeis que eu tive e tive várias chances no Zorra Total. Já fiz mulher com a perna de fora, o humor do Zorra era assim. Tinha um quadro que eu fazia, que eu usava lingerie, que a mulher fazia fantasias para o marido. Tinha um quadro que eu fazia uma ex-mulher horrorosa. Tinha um que eu fazia a bonitona. Realmente, eu nunca senti esse rótulo e nunca me preocupei também em ter esse rótulo, porque eu sabia que o programa que eu estava fazendo, era um programa que as vedetes eram muito importantes. Então, o humor ligado a isso também é bacana. Se tiver que fazer mulher feia, a gente faz, tem que fazer, tem que se despir dessas vaidades também, e desses rótulos! Eu acho que antigamente, a humorista, a comediante no caso, tinha a gordinha, a feia, a gostosa, e eu acho que isso vem mudando. E eu acho que o público agora está percebendo também que nós, que fazemos humor, não fazemos só humor. Estamos tendo a chance de mostrar que somos atores, apesar do humor também, o que eu acho maravilhoso! Fazer humor, inclusive, eu acho mais difícil.

O humor, e o Maurício Sherman foram importantes nessa sua trajetória até aqui?

Muito! Lá aprendi tudo! Quando eu comecei no Zorra, era teatro gravado. Eram quatro câmeras paradas e você tinha que fazer o povo rir, e se jogar! Eu nunca tinha feito TV na minha vida, e eu tinha um quadro, que foi o Aderbal, que eu tinha que entender qual era a câmera e tal,  me jogar e dar o máximo, eu dava o meu máximo. Até acho que no início, eu exagerava muito em algumas coisas. Aí você vai lapidando, depois com os anos. Você vai falando: ‘Não, isso aqui está demais. Podia ter feito um pouco menor, podia ter dado mais aqui’; então, você vai vendo e você vai fazendo, né? Você vai exagerando para você poder cortar. E isso é uma grande escola.

Aquela Mariana do passado, está até hoje, lhe agregou muito, né?

Muito! Nossa, demais!

Nós tivemos vários encontros, e hoje eu estou  vendo uma outra Mariana, você emagreceu bastante. E o maridão, como recebeu isso? Ter uma nova Mariana só para ele?

Bom, né (risos). E se ele encher o saco, eu engordo de novo! Aí pinto o cabelo de preto, né? A gente vai mudando.

Mas ele gostou?

Adorou, achou ótimo! Ele falou assim: ‘Mariana, você pode estar careca, pode estar velhinha, você para mim é linda’. É o que ele falou para mim. Eu falei: ‘Tem certeza?; Porque homem, né?’. Mas ele falou: ‘Mariana, vamos ficar a vida inteira juntos’. Lindo, né?

E como é que é para você, o que você vê no espelho hoje, com essa afinada no shape, você gosta?

Eu estou gostando! Sabe por que? Porque eu sempre quis assim. Nunca fiz dieta, sempre malhei, mas sempre quis perder uns três quilinhos. E eu falava: ‘Ah, quero perder, que saco. Minha calça 38, não está entrando direito’. Mas só malhar não adianta. E aí, quando eu fui vendo a mudança na alimentação, aí eu falei: ‘Ah, que legal, agora coloco uma roupa com mais elegância’. Estou me sentindo mais feliz com o corpo. Poxa, é um corpo de quando eu tinha 25 anos. Agora eu estou com um pouquinho menos de 60 quilos.

É mais fácil emagrecer para uma personagem do que para você, né? 

Foi mais fácil. Eu sou muito focada com o trabalho. É para o personagem? Então, está bom. Tanto que quando a Maria Pia teve que começar a novela com o cabelo castanho, maltratadinho, mais cheinha, eu adorei também, porque era falta de vaidade total para a personagem. Então, isso mudou para ela e mudou para mim também.

Você esperava esse sucesso todo em relação a sua atuação? 

Eu acho que a gente vem em uma caminhada de evolução. A gente quer melhorar e lógico, a gente quer mostrar para o público que a gente faz outras coisas. Eu tive essa chance, essa sorte de poder mostrar em vida que eu faço outros papeis, e isso é muito legal! Tomara que eu tenha outras oportunidades. Esse ano realmente foi um ano muito especial na minha vida e carreira, sim! Porque, poxa, eu nunca tinha feito novela, mostrado um outro lado, um pouco mais dramático também, com mais sutileza, então, eu acho que é um amadurecimento de carreira que tomara que a gente consiga cada vez mais evoluir com isso.

Você é muito vaidosa?

Olha, eu sou normal. Nada demais. É claro que a gente vai tendo que ficar mais vaidosa com o passar dos anos, porque a pele não é a mesma. Você malha com mais intensidade, porque seu corpo não responde mais igual. Tem que comer melhor, porque você vai engordar mesmo. Então, a gente vai tendo a vaidade melhor, da mulher de 40 anos. Então, tem que passar uns creminhos, né? Nada de plástica, mas se precisar, eu faço.

Você está colhendo, né?

Bom, se o universo for legal, realmente eu estou recebendo. Porque eu acho o seguinte, todo mundo é igual, todo mundo aqui é uma equipe, tem que tratar as pessoas bem, a gente trabalha com o público, tem que falar com o público, tem que atender as pessoas, porque se não, porque eu vou estar na televisão? Então assim, eu faço novela, eu vou me disfarçar porque não quero que falem comigo? Eu acho que todas as pessoas têm suas funções, sou uma trabalhadora, eu tenho que trabalhar para sobreviver, então é normal. Para mim, não tem glamour nenhum. É trabalho e a gente tenta executar da melhor maneira possível.

Com a novela, o assédio aumentou muito?

Aumenta, mas eu não tenho saído muito de casa. Eu sou muito caseira, chego em casa e fico vendo um filme, fico lendo um texto, vou na academia do prédio, entende? Vou no mercado, e ai fico falando com as pessoas do mercado, e quando vou no shopping é aquela coisa, aeroporto.

Mariana, já pintou alguma capa bafônica? Alguma capa tipo a ‘Boa Forma’, já te convidaram?

Nossa, vamos fazer uma ‘Boa Forma’? Porque é para mostrar realmente que eu estou com o corpo bom (risos). Vamos trabalhar isso aí, porque está bom mesmo. Meu marido fica tirando fotos minhas.

Além da alimentação que você estava falando, você também faz exercícios. O que você faz?

Eu faço musculação, corro na esteira e corro na orla. Tenho feito basicamente isso.

E a alimentação, qual é?

Bem regrada, mas eu como de tudo. É só comer na hora certa. Às vezes eu trago o meu lanchinho para os Estúdios Globo, trago as coisas, não tomo remédio para emagrecer, não tomo nada disso. Corto a açúcar. Tem o suco verde. Tem semana que faço detóx, daí tomo o suco verde, tem semana que é mais carboidrato. De 15 em 15 dias, vou lá e me peso e a gente vê como é que vai trocar, é bem cuidadinho. Faz exame de sangue, de tanto em tanto tempo para ver como vai a saúde. Essas coisas…

Você falou que nunca fez intervenção cirúrgica, que nunca fez nada. Mas se precisar, não é algo que você corte da sua vida?

Não. Só quem tá precisando vai sentir na pele. Quer fazer, faz! Mas não pira também, né? Ficar com outra cara… Fica demoníaco. Eu tenho um pouco de medo. Então, eu tenho pavor de ser essa pessoa demoníaca, de perder a noção, entendeu? Porque você começa a fazer e dizem que é um vício igual tatuagem, né? Enfim, eu tenho medo.

Como é que você comemora o seu Natal e o Ano Novo?

Natal e Ano Novo eu comemoro em paz, com pouca gente, muita comida e muitas festas. É mais família, marido. Sempre em casa. Dou um pulinho na praia, coisas assim.

E quais são os seus planos para 2018?

Estar viva, né? Com saúde, e é isso! Trabalhar e ser feliz.

Vai bater um papo com a cegonha mais para a frente?

É, vamos ver.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais