Bella Piero fala sobre a repercussão de sua personagem em O Outro Lado do Paraíso: “Dizem que ela se parece a Vandinha da Família Addams”

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em O Outro Lado do Paraíso, Bella Piero é Laura, uma garota tímida e reservada que guarda um grande segredo. Nos próximos capítulos da trama de Walcyr Carrasco, ela será alvo das investigações de Clara (Bianca Bin), em busca de vingança contra o delegado Vinicius (Flavio Tolezani), padrasto da moça. Nossa reportagem bateu um papo com a atriz que se disse realizada por fazer parte de uma novela tão vitoriosa, falou sobre seu processo de preparação para a personagem e revelou o que o público nas ruas lhe diz sobre Laura. Confira:

Leia também:   Os Dez Mandamentos fica no lugar de Belaventura na Record

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como está sendo fazer essa novela?

“É uma grande realização trabalhar de novo com o Walcyr Carrasco e com o Mauro Mendonça Filho. Eu havia trabalhado com eles anteriormente em ‘Verdades Secretas’, fazendo a Nina, uma personagem de cabelo roxo, e tive, e estou tendo oportunidade de trabalhar ao lado de artistas que sempre foram grandes exemplos para mim.”

E você já tem escutado comentários nas ruas?

“Já, o que foi surpreendente para mim, afinal, a história só começou a se desenvolver agora. Tenho sentido muita proteção e muito afeto das pessoas. Tem sido gostoso.”

O que você mais ouve das pessoas?

“Tenho escutado muita torcida para o casal Laura e Rafael, e dizem para o Rafael proteger a Laura e tirá-la dessa casa conturbada.”

Todo mundo imagina que tem a ver com o padrasto. Isso fica meio claro que ele a assediou. Sabemos que você não pode falar muito sobre o assunto, mas o que pensa sobre ele? 

“Passam muitas coisas na minha cabeça, porque nossa novela é muito feminista, e como tema principal,  a gente trata o assédio em todos os níveis, que infelizmente é um tema muito atual. Me passam muitos sentimentos e muita vontade de contar essa história com a maior veracidade possível e que as pessoas possam refletir sobre o assunto.”

Você pesquisou algo para dar vida à Laura?

“Peguei algumas referências. Têm tantos filmes que abordam isso, e a própria realidade. Os casos de assédio sexual no Brasil diariamente chegam a números absurdos. Tem um filme chamado ‘Repulsa Ao Sexo’, que me ajudou a construir esse comportamento mais introspectivo, tem o ‘3906 Dias de Cativeiro’, uma história real da Natascha Kampusch, que foi aprisionada aos 10 anos de idade e só conseguiu sua liberdade aos 20. Ficou 10 anos em cativeiro.”

Você parece uma menina de filme. As pessoas te dizem isso?

“Estão falando bastante que a Laura se parece com a Vandinha, de ‘A Família Addams’, falam também da menina de ‘O Grito’. Visualmente a gente precisa chegar nesse lugar traumático, que é a realidade. É muito importante mostrar para o público como essas pessoas se comportam.”

Você acha que ela vai superar esse trauma e conseguir amar o Rafael?

“A torcida é muito grande para isso, tanto do grande público e nossa, eu e Igor Angelkorte. Estamos construindo essa história da forma mais verdadeira e transparente possível. Ele é muito generoso comigo em cena, e o Rafael é muito cuidadoso com a Laura. A gente constrói essa história para que eles consigam vencer esse confronto que existe com o padrasto e com a mãe também, e que eles sejam felizes.”

E o padrasto sente muito ciúme dela, não é?

“Foi ao ar na primeira cena que ele já a ronda um pouco. Existe uma atmosfera esquisita ali de cuidado excessivo desse padrasto.”

Você imagina que deve ser difícil conviver com um padrasto, temendo esses abusos ou acredita que nem todo mundo é igual?

“Nem todo mundo é igual. As relações têm muitas variáveis. Sei que existem muitas relações de enteadas com padrastos que são saudáveis, mas do caso da novela não é. Nem a relação da Laura com a mãe, a Lorena (Sandra Corveloni) é saudável. Isso transpassa para o padrasto. Se fosse, não chegaria a um nível perigoso. É uma realidade nossa, não só no Brasil. Os abusos sexuais acontecem 90% dos casos dentro da família e nossa função social é chegar nisso.”

Eu falei com a Sandra Corveloni anteriormente, e dá a entender que a mãe da Laura faz vista grossa à situação da filha por dever favores ao delegado  Vinicius…

“A Lorena é submissa. As mulheres da história da novela, são submissas aos homens e queremos mostrar a importância do movimento feminista, e desse equilíbrio entre homens e mulheres.”

Deixando de lado a personagem, como tem sido a sua vida?

“Minha vida tem sido muito feliz. Estou exatamente no lugar em que quero estar, contando uma história muito bonita e muito sensível. Eu comecei muito cedo, fazendo teatro aos 7 anos, e atualmente estou com 21 anos. O público tem ficado em dúvida em relação à idade da Laura na novela, mas ela também tem 21. É a primeira vez que faço uma personagem que segue minha idade. Antes eu tinha feito meninas de 15 e 17 anos, agora estou feliz de ter esse amadurecimento como atriz.”

O que você gosta de fazer para se divertir?

“Eu amo natureza, quando tenho folga estou na praia, trilha, cachoeira.”

É Vaidosa?

“Não tanto. O suficiente.”

Como é a relação da sua família com sua profissão? Eles são seus maiores fãs?

“São fãs, parceiros, e construíram essa caminhada comigo. Me apoiaram desde sempre. Tem uma história engraçada, minha mãe conta que quando eu tinha 3 anos de idade, estávamos viajando de carro, eu na cadeirinha e chorando. E ela perguntou: ‘Isabella, o que está acontecendo?’, e eu respondi: ‘Estou treinando’, então, a atuação é uma coisa muito genuína que vem comigo desde cedo. Meus pais sempre tiveram a generosidade de enxergar isso, e me apoiar desde sempre.”

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio