Final de Power Couple surpreende ao reduzir participação do público

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A grande novidade da terceira edição do reality show Power Couple Brasil, da Record, foi abrir espaço para a votação do público. Isso não existia nas edições anteriores. Tal manobra mudou consideravelmente a dinâmica da atração. Além disso, tornou a final um tanto previsível, com Munik despontando como grande favorita. Mas, surpreendentemente, a Record tirou o poder do público de definir os finalistas. Assim, o casal Tati Minerato e Marcelo Galático acabaram vencendo a atração, na final exibida ontem (28).

A ideia de transformar Power Couple em BBB foi uma tentativa da Record de gerar torcida e mobilizar a audiência. No entanto, a manobra fez com que o reality perdesse um de seus principais propósitos. O objetivo do programa, a princípio, era premiar o casal “power”, ou seja, a dupla que demonstrasse maior afinidade e poder de fogo. Deste modo, os desempenhos de cada dupla nas provas eram fundamentais. Mas, este ano, a popularidade do casal passou a ter grande peso na definição dos vencedores, já que era o público quem eliminava os concorrentes.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Lei faz com que Record não possa reprisar humorístico; entenda

Porém, na final, fomos surpreendidos com a decisão da direção do Power Couple de manter as regras das edições passadas na prova final. Deste modo, o último “desafio dos casais” eliminaria o casal menos bem-sucedido. Ou seja, o público perdeu seu poder justamente no momento mais crucial do jogo. Gugu Liberato se esforçou na tentativa de mostrar ao público que não havia nada de errado com a decisão. Chegou a exibir cenas das edições anteriores para mostrar que a última prova dos casais sempre foi determinante no Power Couple. Até Roberto Justus ressurgiu nas cenas de repeteco. Realmente, não houve uma mudança de regra. O programa simplesmente manteve uma regra de suas edições anteriores.

O problema é que o público determinou todo o jogo nesta terceira temporada de Power Couple. Mas ficou de fora justamente na decisão mais importante. Deste modo, a audiência se sentiu traída pela atração. E, de quebra, teve de assistir ao casal Munik e Anderson fora da final. O público, então, teve que escolher entre Aritana e Paulo e Tati e Marcelo. E o segundo casal levou a melhor.

No entanto, a decisão da direção do Power Couple permitiu alguma surpresa no episódio final do reality. Ao não dar o prêmio ao casal favorito, a atração garantiu alguma emoção extra neste desfecho. Sendo assim, por mais que tenha sido uma final polêmica, a manobra final tornou a disputa mais interessante.

Power Couple não premiou o melhor casal

Mesmo com esta mudança de rota na reta final, Power Couple Brasil ainda não deu o prêmio ao melhor casal. Tati e Anderson mantiveram alguma regularidade dentro do jogo e foram bem. Mas Aritana e Paulo foram o casal que obteve o melhor desempenho nas provas do programa. Sendo assim, se valessem as regras dos anos anteriores, seriam eles os vencedores da atração. Mas o público preferiu dar o prêmio ao outro casal.

João Emanuel Carneiro dispensa “núcleos decorativos” em Segundo Sol

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio