Fim do Legendários é vitória do assistencialismo barato na televisão brasileira

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A TV brasileira vive de alguns ciclos se tratando de sua atração mais antiga, os programas de auditório. Nos anos 80, era a anarquia. Nos anos 90, era a audiência à qualquer preço e a “bundalização”.

Nos anos 2000, no entanto, o grande fenômeno, sem dúvida, é o assistencialismo barato. Isso sempre existiu na TV, mas foi potencializado de uns anos pra cá.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entrega de casas, reencontros de parentes, emoção e lágrimas. Hoje a prioridade não é divertir, como sempre foi, e sim fazer chorar.

Por isso, é lamentável o anúncio que a RecordTV fez nesta quarta-feira (29) ao confirmar o fim do programa Legendários, apresentado por Marcos Mion desde 2010.

Veja mais: Record cancela Legendários

O Legendários, diga-se, só ganhou essa longevidade porque mudou. Deixou de ser um programa de humor para ser auditório em sua acepção da palavra nas noites de sábado. Maluco muitas vezes, e criativo, virou uma boa opção para o horário.

Além disso, transformou-se em uma ilha no continente chamado RecordTV. De todos os programas atuais, era o único que não apelava para o melodrama fácil e para o assistencialismo, pois até o Programa da Sabrina, pasmem, está indo por esse caminho.

Já era um pouco visível que a emissora queria dar um fim na atração. O primeiro ponto nesse sentido foi a mudança em seu dia de exibição. Era como se fosse uma prova de fogo pro Legendários. Ou ele dava certo nas sextas, ou era limado.

O formato não merecia isso por tudo que representou no sábado à noite da emissora, mas o ultimato foi dado. Em dia muito mais forte, concorrendo com duas atrações consolidadas – Ratinho e Globo Repórter -, o Legendários acabou sucumbindo.

Lamento principalmente porque, hoje, fora da Faustão e Ratinho na maioria dos dias, os programas de auditório estão cada vez mais melodramáticos. O Legendários estava longe de ser isso. Na RecordTV, como disse acima, era o único.

O assistencialismo da televisão venceu nesta quarta. Estamos indo para um caminho perigoso e preocupante. Auditório sempre foi lugar de alegria. Virou agora lugar de choro e dramas. Espero que isso mude logo, porque ninguém aguenta mais tanta choradeira

 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais