Donos das melhores frases de Império, Magnólia e Severo se destacam na trama

Zezé Polessa e Tato Gabus Mendes estão ótimos na trama de Aguinaldo Silva

Publicado em 06/10/2021 21:00
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos mais recentes capítulos de Império, Magnólia (Zezé Polessa) e Severo (Tato Gabus Mendes) chegaram ao auge, ao receberem um jantar oferecido pelos classudos Cláudio (José Mayer) e Beatriz (Suzy Rêgo). O encontro do casal de trambiqueiros com figuras, como Maria Marta (Lilia Cabral) rendeu momentos do mais puro e inusitado humor.

Ricos desde que ganharam uma bolada numa corrida de cavalos, Magnólia e Severo tentam alcançar a alta roda, mas sem perder o jeitinho nada nobre que os caracteriza. O jeito espontâneo de “Mag”, somado ao sarcasmo latente de seu marido, arrancaram risos em meio às taças de champanhe oferecidos num ambiente cheio de requinte.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O choque provocado quando duas realidades aparentemente opostas se encontra deu à cena um nonsense que valorizou Império. A trama de Aguinaldo Silva, em seus núcleos mais bem-humorados, costuma fazer de uma comicidade mais rasteira. Já com Magnólia e Severo, o humor ganha contornos mais ousados e, por isso mesmo, mais interessantes.

Isso porque o casal dispara frases absurdas com a maior naturalidade. Trambiqueiros, aliciadores dos próprios filhos, exploradores e folgados, eles tinham tudo para serem pessoas detestáveis. No entanto, eles “dão a volta”, já que há uma fina ironia que permeia todas as suas falas. É um humor ácido, sarcástico, e que embute uma crítica social contundente.

Além disso, Magnólia e Severo contam com dois intérpretes inspirados. O jeito “espalhafatoso, mas sem ser over” de Zezé Polessa cai como uma luva em Magnólia, tornando-a carismática. Já Tato Gabus Mendes tem grande talento para falar os maiores absurdos num tom de voz tranquilo e afável, fazendo de Severo um adorável preguiçoso.

Assim, Magnólia e Severo se tornam exemplos de como um núcleo cômico bem construído pode contribuir para a narrativa de uma novela. Normalmente, o que se vê em outras produções são gags batidas e tolas, e que surgem soltas dentro de um enredo. Não é o caso dos pais de Maria Isis (Marina Ruy Barbosa), que divertem, ao mesmo tempo em que contam uma história.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio