Globo devia considerar temporadas maiores do Tamanho Família

Publicado há 4 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na tarde de ontem (02), a Globo exibiu o último programa da temporada 2017 do Tamanho Família, dominical de Márcio Garcia. A atração conseguiu repetir o sucesso da leva anterior, registrando bons índices de audiência e deixando a emissora na liderança isolada no Ibope em seu horário de exibição. Mais do que isso, conseguiu oferecer excelente entretenimento familiar, com muita emoção e diversão, como um bom programa de domingo deve ser.

Tamanho Família tem muitos méritos. Um deles é seu apresentador. Márcio Garcia manda muito bem com um microfone na mão. Tem personalidade, é esperto, tem sempre boas tiradas e consegue prender a atenção. Não que seja novidade: Márcio já foi visto como apresentador em atrações como MTV Sports, Ponto a Ponto, Gente Inocente e O Melhor do Brasil, entre outros, e sempre com desempenho intocável. Fazia tempo que ele merecia uma nova chance de comandar um programa. Tamanho Família apareceu e lhe caiu como uma luva.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além disso, a atração tem um formato simples e eficiente. Num momento em que tanto se importa formatos, é interessante notar o esforço de diretores da Globo de, também, conceber novas atrações. Tamanho Família não inventou a roda, pelo contrário. Competições familiares já puderam ser vistas em outros programas. Mas, mesmo assim, consegue um certo frescor ao utilizar o game entre famílias como uma desculpa para uma espécie de debate familiar entre famosos. Claro, uma conversa bem superficial, afinal estamos falando de um programa de domingo. Mas diverte ao arrancar boas declarações dos participantes. Além disso, Tamanho Família emociona com as homenagens do último bloco. Sem apelação e de bom gosto.

Por estas e outras qualidades, a direção da Globo devia considerar realizar temporadas maiores do Tamanho Família. É acertado fazer um número limitado de episódios por ano, afinal, é um formato que fatalmente cairia no cansaço se fosse exibido o ano inteiro. Mas uma temporada de 11 episódios parece pouco. O programa de Márcio Garcia sairá de cena para a estreia de Popstar, um novo programa que terá uma competição entre bandas de famosos. A atração pode até surpreender e ir bem, mas, como se trata de um derivado do Superstar, que atingiu baixos índices no horário no ano passado, fica sempre a impressão de que o canal vai trocar o certo pelo duvidoso. Num outro momento, poderiam considerar levar o Tamanho Família por mais uns dois meses.

Vade Retro teve seus méritos, mas não decolou

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio