Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Vilã sem limites

Patrícia Pillar comemora reprise e revela motivo para aceitar viver Flora em A Favorita

Trama de João Emanuel Carneiro estreia no Vale a Pena Ver de Novo

Publicado em 12/05/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Para a alegria de muitos fãs saudosistas, A Favorita ganha a primeira reprise no Vale a Pena Ver de Novo. A trama de João Emanuel Carneiro estreia dia 16 de maio destacando a rivalidade entre Flora (Patrícia Pillar) e Donatela (Claudia Raia).

Na trama, os primeiros capítulos são um verdadeiro mistério para o público. Flora foi condenada a 18 anos de prisão pelo assassinato do marido de Donatela, Marcelo Fontini (Flavio Tolezani). Ao sair da prisão, ela luta para provar sua inocência, acusando a ex-amiga do crime que ela já pagou.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Donatela, por sua vez, foi quem criou Lara (Mariana Ximenes), a filha de Flora com seu marido morto e herdeira única de um império de papel e celulose. A ex-presidiária garante que foi vítima de uma farsa armada por Donatela, a quem acusa de estar interessada na fortuna da família Fontini.

Flora (Patrícia Pillar) e Donatela (Cláudia Raia), de A Favorita

No meio da novela, é revelado que Flora é realmente a grande assassina e a vilã da novela. Para Patrícia, todo esse mistério foi crucial para ela aceitar o convite para a produção.

Em entrevista, a atriz comemorou a reprise e falou mais sobre A Favorita.

A Favorita é pedida há muito tempo pelo público para ser reexibida no Vale a Pena Ver de Novo. Você também aguardava por isso? O que sentiu quando soube da notícia?

Sempre foi uma expectativa nossa saber como seria assistir a novela já sabendo “quem estava falando a verdade”. Acho que pode ser muito interessante para o público que terá a chance de não ser “enganado pelas aparências”. Assim, as pessoas terão uma compreensão melhor da complexidade de cada uma das personagens. 

A novela inovou subvertendo o folhetim tradicional ao ter a vilã revelada depois de muitos capítulos. Foi estimulante participar de uma obra com essas características? 

Sem dúvida! Essa provocação do João Emanuel Carneiro foi de grande originalidade e uma aposta arriscada que me agradou muito. Ele construiu uma trama muito surpreendente e para os atores abriu o campo de atuação trazendo muita liberdade.  

Como foi sentir a reação do público quando Flora se revelou?

Foi mesmo uma grande virada, mas não foi nada forçado porque estava tudo ali construído no texto. A força da imagem pré-concebida que o público tinha de cada uma das personagens despistou as verdadeiras intenções de Flora e Donatela. Essa brincadeira levou o público a fazer uma aposta errada.   

A Flora é uma personagem muito subjetiva e exigiu uma intensa preparação para compor o lado psicológico dela, correto? Além disso, você também visitou um presídio feminino para conhecer a realidade das detentas. Pode relembrar um pouco como foi o processo de preparação para a personagem?

Uma pessoa que ficou presa por muitos anos precisa ter essa vivência impregnada em seu corpo e em suas atitudes. Estive no presídio feminino Talavera Bruce, conheci várias detentas, muitas histórias de vida que me ajudaram a entender a dureza que é viver essa experiência. Encontrei no boxe uma atividade física que serviu como meio para encontrar esse físico mais embrutecido. 

Como foi a parceria com a Claudia Raia e com outros atores com quem mais contracenou?

Maravilhosa. Nunca tinha trabalhado com a Claudia e de cara tivemos uma cena muito difícil que era o reencontro das duas depois que a Flora saiu da prisão. Nessa cena já rolou muito bem, ali já senti que seria um jogo muito gostoso.   

Murilo Benício com Patrícia Pillar e Claudia Raia em A Favorita

O que mais te marcou neste trabalho e de que forma essa novela foi importante para sua carreira?

Me marcou muito a força que fica guardada em uma pessoa que não soube lidar com o sentimento de rejeição, sentimento mal resolvido que fez o amor pela irmã virar ódio e o ódio virar desejo de vingança. Muitas ações violentas são regidas pelo ressentimento. Poder lidar com essa gama tão complexa de sentimentos foi um presente do grande autor que é o João Emanuel Carneiro e foi um grande aprendizado para mim.  

Qual a cena envolvendo a sua personagem ficou mais marcada na memória?

Foram três. A saída da prisão, a visita de Flora a Donatela na cadeia, onde ela diz que tomou tudo que era dela, e quando Flora confessa a Donatela que é uma assassina. 

Quais as principais lembranças dos bastidores? Alguma curiosidade em especial? 

O clima era uma delícia! Trabalhávamos muito, muito mesmo, mas era sempre em meio a muitas gargalhadas! Muitos momentos maravilhosos foram vividos com Claudia Raia, Ary Fontoura, Mauro Mendonça, Murilo Benício, Glória Menezes, Mariana Ximenes, Genésio de Barros, Carmo Della Vecchia…Guardo grandes recordações e agora vou matar um pouco dessa saudade.   

Você pretende rever a novela? Gosta de assistir trabalhos antigos?

Não sou de assistir trabalhos antigos, mas A Favorita eu vou assistir muito!!!

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....
Pular para a barra de ferramentas Sair