Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
De olho no BBB 22

Redes sociais destacam os participantes mais autênticos e verdadeiros do BBB

Especialista em marketing de influência fala do papel importante das plataformas durante o reality show da TV Globo

Publicado em 16/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A 22ª edição do Big Brother Brasil, que estreia nesta segunda-feira (17) na TV Globo, já está pegando fogo nas redes sociais.

A atual estratégia do programa em colocar celebridades e influenciadores digitais, iniciada desde o BBB20, tem-se mostrado um sucesso e gerou ainda mais engajamento para o programa.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Desde que foram anunciados os participantes dos grupos Pipoca (pessoas desconhecidas do grande público) e Camarote (celebridades, famosos), as redes dos Brothers e Sísters antes anônimos já registram grande aumento de seguidores. 

As celebridades por si só já contavam com volume expressivo de followers nas redes.

Um dos antes anônimos que ampliaram seu alcance nas redes é o cearense Vinicius, que saltou em pouco mais de 24h de 16 mil seguidores para mais de dois milhões de followers no Instagram até o domingo (16).

Vinícius do BBB 22 (Reprodução/TV Globo)

 “Os participantes que são mais verdadeiros, autênticos e que se entregam de verdade ao jogo, são os que mais devem se destacar”. Quem diz é Rafael Arty, sócio e diretor comercial da Squid, empresa de tecnologia especializada em marketing de influência.

O veredito é por conta da experiência que a sua empresa tem em trabalhos na área digital..

Segundo Arty, criadores de conteúdo que mais se destacam são os mais autênticos, e o mesmo se passa numa atração de mídia de massa como é o Big Brother Brasil.

O reality show não é mais somente um programa de TV e as redes sociais são de extrema importância para todos os participantes.

Por meio delas, os fãs se unem para fazer mutirões de votos, levantam tags, torcem em qualquer prova, criam memes, levantam discussões e debates importantes sobre o que acontece na casa e mantêm o engajamento do programa sempre alto, tendo forte influência sobre a opinião pública dos participantes”, analisa Rafael Arty.

O especialista Rafael Arty: ” Os participantes que são mais verdadeiros, autênticos e que se entregam de verdade ao jogo, são os que mais devem se destacar” . Foto: Divulgação

O executivo lembra o exemplo claro desse movimento que foi o fenômeno Juliette Freire.

Segundo ele, parte do imenso sucesso da Juliette foi justamente a forma como sua equipe conduziu as redes durante todo o programa e, principalmente, pela imensa movimentação do público.

O especialista também lembra que as redes sociais são importantes na hora da decisão sobre qual participante deve sair da casa e para que tenha ou não uma boa imagem ao sair.

Marcas

Pelo lado dos anunciantes, o BBB 22 também promete ser o mais lucrativo da história do programa. Um mês antes de estrear, o reality já estava com praticamente todas as cotas de patrocínio vendidas, garantindo um faturamento próximo a R$ 600 milhões .

Rafael Arty destaca que o programa tem o poder de oferecer um conteúdo muito mais autêntico e espontâneo, proporcionando visibilidade positiva para as marcas.  

Ele dá o exemplo de ação positiva durante o BBB 21, que foi  o desfile de hologramas da C&A, muito comentado nas redes sociais.

A ação também contou com uma experiência de realidade aumentada para os celulares dos telespectadores, que puderam conferir os looks de maneira inovadora e o fluxo de clientes no aplicativo da marca aumentou em mais de 70%, gerando um aumento de mais de 60% de usuários únicos”, destaca o executivo da Squid.

Participantes do BBB 21 participam de ação da C&A no BBB 21 (Reprodução Globoplay)

Tendências

Já para os anunciantes, o grande desafio neste ano deverá ser reter a atenção e o engajamento do público em um momento de reabertura do País frente à pandemia com o avanço da vacinação.

As ativações precisarão ser mais criativas, inovadoras e terem CTA para a conversa continuar no digital”, prevê o especialista da Squid.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....