Metrópole São Paulo leva operações policiais e salvamentos ao fim de tarde na TV paga

Série no canal A&E é filmada em tempo real e promete não explorar sofrimento das vítimas

Publicado em 19/11/2021 14:37
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Neste sábado (20), no final da tarde, quem ligar no canal A&E às 18h vai se deparar com cenas em campo de resgate médico de socorristas (Serviço de Atendimento Móvel de Urgências – Samu), operações do Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Garra, helicópteros Águia e Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas).

A série Metrópole São Paulo segue o formato de docu-reality que o canal já desenvolveu com programas feitos na Cidade do México/México e Bogotá/Colômbia.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não deixa de ser uma concorrência aos noticiários de final de tarde nas redes de TV aberta, que mantêm uma fórmula comum na cobertura de temas policiais e de tragédias.

Nos canais abertos, apresentadores narram todos os acontecimentos de forma dramática e impactante.

Assim, a cada bloco, é comum o telespectador mais emotivo se sentir com o coração na boca até a próxima pausa para os comerciais.

No Metrópole São Paulo, não existe a figura do âncora.

Apenas um narrador descreve e explica os acontecimentos, enquanto os microfones abertos registram as conversas durante as ocorrências.    

Grande São Paulo

O A&E se viu motivado a produzir a atração por aqui diante da magnitude dos números da cidade e região metropolitana.

A cada dia, são feitos três mil atendimentos médicos emergenciais e 600 atendimentos do Corpo de Bombeiros.

Ao ano, somam-se oito mil presos em flagrante ao ano, diante de uma circulação diária de 22 milhões de pessoas na Grande São Paulo.

A promessa da série é não se explorar o lado sensacionalista das tragédias, muito menos o sofrimento das vitimas.

São quatro episódios da série que, de acordo com a diretora de conteúdo do A&E, Karen Santiago, privilegia o olhar dos profissionais dos serviços diante dos acontecimentos – Polícia, Samu e Bombeiros.

Ricardo De Caroli, gerente de produção original do canal, conta que a equipe seguiu rigorosamente as exigências de distância e segurança para acompanhar as equipes.

A equipe de filmagens contou com apoio das Secretarias de Segurança Pública de São Paulo e também da Secretária de Secretaria de Saúde.

Muitas cenas de Metrópole São Paulo utilizaram câmeras em drones.

A produção teve autorização para acompanhar as operações, com acesso às chamadas zonas intermediárias e também às zonas quentes, que são áreas de maior risco.

A equipe tinha de usar colete a prova de balas”, contou De Caroli.

Resgate pelo Samu a série Metrópole São Paulo, no canal da TV por assinatura A&E. Foto: Divulgação

Protocolos

Além dos perigos das ações e resgates em si, também houve os cuidados com os protocolos de Covid nas filmagens.

Nos episódios, é possível ver ações não abordadas nos programa jornalísticos da TV. Há, por exemplo, o acompanhamento de uma operação bafômetro no Mandaqui e o resgate de um automóvel caído em um córrego no Jardim Andaraí, ambos os bairros da Zona Norte da capital paulista.

A preocupação do programa é o acompanhamento no tempo real e, diferentemente dos programas policiais, Metrópole São Paulo não registrou nenhuma morte ao vivo.

Metrópole São Paulo tem classificação indicativa para 14 anos.

Trata-se de uma coprodução da A+E Networks com a Omava e terá reprises às terças-feiras, 19h30.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio