Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
O QUE HOUVE?

Três mistérios intrigantes do final de O Clone

Novela reprisada na Globo tem alguns desfechos curiosos

Publicado em 26/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A reprise de O Clone no Vale a Pena Ver de Novo está dando o que falar. Mesmo 20 anos depois da primeira exibição, a novela da Gloria Perez consegue prender o público com as suas várias histórias entrelaçadas.

No final do folhetim, o público conhecerá os desfechos dos personagens, muitos deles bem positivos, como o de Mel (Débora Falabella), que conseguirá enfrentar as drogas e aparecerá comemorando um ano sem usá-las.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Outros personagens, porém, terão finais intrigantes, que chegam a ter até mesmo um tom de mistério. Três deles acontecem no último capítulo de O Clone e são bem perceptíveis. Veja a seguir!

Albieri

Albieri (Juca de Oliveira), um dos protagonistas de O Clone e responsável pelo mote principal da trama – a clonagem – vai ter um final misterioso.

O médico, que passa a história toda receoso de ter seu segredo descoberto (a clonagem de Lucas, que resultou em Leo, gerado na barriga de Deusa), vai acabar sendo julgado pela Comissão de Ética e condenado após diversos depoimentos, incluindo o de sua própria esposa, Edna (Nívea Maria).

Já sabendo que a mulher vai denunciá-lo, Albieri decide fugir para bem longe e Leo (Murilo Benício), seu pupilo, vai querer segui-lo.

Essa fuga por si só já é bem inusitada, mas o que ocorre nas cenas finais chega a ser enigmático: tanto o médico quanto seu clone são ‘engolidos’ pela poeira do deserto marroquino por onde caminham.

Albieri (Juca de Oliveira) e Leo (Murilo Benício) em O Clone (Reprodução/TV Globo).

Leo

Assim como o desfecho de Albieri, o de Leo é igualmente intrigante. Desde que cresceu, o rapaz clonado se mostra alguém completamente desnorteado.

Sem ‘identidade’, ele passa a viver uma vida que não é de fato sua, e na verdade, parece seguir boa parte do que foi vivido por Lucas. Para se ter uma ideia, ele se sente atraído por Jade e os dois até ‘se conhecem melhor’. Tudo isso gera muitos embates psicológicos entre ele e o próprio Lucas.

Acreditando que Albieri é seu verdadeiro pai – e que de fato é, afinal, o fez em laboratório -, ele cria uma conexão muito forte com o médico até os momentos finais da trama. Como exposto no tópico anterior, o garoto clonado segue o cientista até o Marrocos e também desaparece no deserto.

O ponto é: Albieri e Leo morrem no final de O Clone? O sumiço em meio à areia é uma metáfora usada por Gloria Perez para simbolizar a morte deles? Ou então um recomeço de vida? O que acontece com os dois o público não fica sabendo.

Nando (Thiago Fragoso) e Mel (Débora Falabella) no final em O Clone (Reprodução Globo)

Regininha

Regininha (Viviane Victorette), amiga de Mel e de Nando, vive um drama não somente com as drogas como também com a família. No último capítulo de O Clone, a garota está certa que precisa mudar de vida, mas para isso precisa de ajuda.

Ela então procura a mãe, mas não é bem recebida. Ela é rejeitada totalmente e expulsa como se fosse um animal. Depois dessa cena, Regininha não é mais vista na novela e nem pelos personagens que a conhecem, Mel, Nando, Thelminha (Thais Fersoza) e Cecéu (Sérgio Marone).

No decorrer do capítulo final, Mel aparece sem usar drogas há um ano. Na reunião do Narcóticos Anônimos ela fala sobre sua recuperação.

“Eu sou uma dependente química em recuperação. Só por hoje em não bebi, só por hoje não me droguei. É muito difícil viver assim, um dia de cada vez, uma vida inteira em um dia. Eu deixei muitas páginas em branco na minha vida. Muita coisa eu sei que vou conseguir recuperar, mas muita coisa eu sei que perdi pra sempre, mas eu tô lutando pra me levantar. E sei que com a ajuda de vocês eu vou conseguir”, diz Mel, emocionada.

Depois, disso, ela se une a Nando, que também deixou a clínica de reabilitação, para abrir um espaço para ajudar dependentes químicos. Para homenagear a amiga desaparecida, eles batizam o local de ‘Clínica Regininha’. Não se sabe se a personagem morreu.

Reginha (Viviane Victorette), Mel (Débora Falabella) e Nando (Thiago Fragoso) em O Clone (Divulgação)

Leia outros textos AQUI.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....