Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Suicídio

Drica Moraes fala sobre fim de Carolina em Verdades Secretas: “Acreditou nesse homem cegamente”

Personagem foi traída pela filha, Angel, e pelo marido, Alex

Publicado em 15/12/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O último capítulo de Verdades Secretas será exibido na Globo nesta sexta-feira (17). Em sua primeira reprise na emissora, o público pode conferir as emoções da história escrita por Walcyr Carrasco, na qual termina com uma tragédia freudiana.

Carolina, papel de Drica Moraes, flagrará a filha única, Angel (Camila Queiroz), que é seu ‘bibelô’, na cama com seu marido, Alex (Rodrigo Lombardi). Transtornada com a cena, a boa mãe e esposa aponta a arma para os dois, mas acaba colocando um ponto final em sua própria vida e poupando a dos traidores.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Em entrevista, Drica Moraes abre o jogo sobre o que acha de Carolina, o fim que ela teve no folhetim e como foi a repercussão nessa reapresentação.

Você assistiu novamente Verdades Secretas? Quais foram as impressões dessa vez, teve um novo olhar? 

Não consegui assistir tanto porque estava gravando freneticamente e a quinta temporada de Sob Pressão, mas assisti um pouco no horário e também pelo Globoplay e tive de novo muito carinho pela minha personagem e pela Angel.  Acho que a busca por um lugar no mundo e a busca de um amor verdadeiro são temas que atravessam o tempo. 

Como você analisa a trajetória da Carolina ao longo da história? Acredita que o final da personagem foi o desfecho mais condizente com sua personalidade e suas escolhas?

Eu não julgo a Carolina porque acho que ela simplesmente faz parte de uma tradição de mulheres que acredita no amor romântico e isso é uma herança do nosso patriarcado estrutural, onde a mulher precisa de um homem dentro de casa para validá-la como pessoa, para torná-la merecedora das coisas boas. E a Carolina acreditou nesse homem cegamente em nome dessa parceria que muitas mulheres precisam. Acho que a mulher já caminhou bastante, o feminismo ajuda a gente a vasculhar um pouco o porquê de precisarmos tanto dos homens, porque não podemos sozinhas termos um lugar no mundo, uma história própria. Mas entendo que ela não suportou a dor da traição da filha, mais do que a dor da traição do marido 

Quais foram os grandes momentos da personagem?

Foram vários bons momentos, ela começa como uma mulher revolucionária que desmascara o marido com a amante, depois vai para São Paulo, acho muito bonito o momento de reencontro com a mãe, reencontro com a fé, a restauração de valores do bem, do trabalho, da honestidade, do estudo. Tive grandes cenas com a Ana Lúcia Torre.

E depois vem o encontro fatal com o Alex, a primeira saída com ele aparece muito essa ingenuidade da Carolina. Essa semana foi ao ar uma cena que acho muito boa, onde ela já pressente, já percebe o que está acontecendo com a filha e o marido, mas não consegue provas disso. É quando ela diz que toda mãe conhece um filho, mas será que conhece mesmo? 

Considera a Carolina um dos papeis mais marcantes de sua carreira? Quais os motivos?

Sim, considero a Carolina um dos grandes personagens da minha carreira, eu vinha de uma saída dramática de ‘Império’, onde fiz um grande personagem e precisei sair antes da novela acabar, adoentada, o que não foi legal, e acho que foi um grande retorno, me senti muito bem amparada pela Globo ter me dado essa oportunidade naquele momento e sobretudo pelo Mauro Mendonça Filho e Walcyr Carrasco.

Como foi a repercussão da personagem com o público agora na reprise? O que teve de diferente da exibição original em 2015?

A repercussão na época da exibição original foi um escândalo, eu recebia diariamente vários telefonemas, e a reação do público nas ruas era muito forte, todos muito espantados com a credulidade da Carolina, como ela podia não enxergar o óbvio, e agora na reprise também existe isso.

Com Verdades Secretas II no Globoplay todo mundo sabe que a Angel se tornou uma outra pessoa, então os espectadores ficam muito impressionados, e comentam: Como aquele amor todo que a mãe deu para a filha não prestou para nada… Tem muita indignação e isso me mostra um lado bonito do público, de como valores como amor, respeito, solidariedade e ética são importantes.

Quais são seus próximos projetos profissionais?

Tenho alguns projetos para o ano que vem e ainda não sei como será a organização deles. Estou para desenvolver uma autobiografia, é um projeto que estou amadurecendo este ano e ano que vem irei arregaçar as mangas sobre ele. E tem o lançamento de dois filmes, um deles eu protagonizo, é o Pérola, com direção do Murilo Benício e roteiro da Adriana Falcão. O Outro é A Verdades, do José Eduardo Belmonte.   

Leia outros textos da colunista AQUI.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....