Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Niver

Canal de tiro curto, Loading entrava no ar há um ano

O canal que apostava em cultura pop prometia uma revolução na TV aberta

Publicado em 07/12/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Em 7 de dezembro de 2020, a Loading entrou no ar prometendo uma revolução. Com a proposta de “democratizar” o acesso ao conteúdo premium do entretenimento nerd/geek, a nova emissora entrou no ar com uma programação recheada de animações, games e programas com informações sobre o universo pop e juvenil.

Multiverso, o primeiro programa do canal, entrou no ar anunciando as novidades. Fabio Gomes, Mary Aires e Fernanda Pineda comandavam a revista diária sobre HQ’s, cinema, música e séries. No mesmo dia, estreou Metagaming, informativo sobre esports que ficou apenas dois dias no ar.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

No dia seguinte, estreou também o Mais Geek, sobre cultura oriental, atração que exibia animes populares, e o GameShark, sobre jogos. Outras faixas de animes também compunham a grade diária, como Funimation TV e Madrugada Crunchyroll. Pela manhã, o Maratoon exibia animações clássicas, enquanto as tardes eram ocupadas por novelas coreanas.

A “casa do entretenimento” agradou em cheio ao público juvenil, carente de opções na TV aberta. Porém, o negócio não parou em pé e a produção própria da emissora foi interrompida bruscamente, em maio de 2021, quando o principal investidor desistiu da empreitada.

A Loading ainda teve sobrevida com reprises de animes até o final de novembro deste ano, quando saiu do ar de vez. Em seu espaço, retornou a Ideal TV, que exibe a programação da Igreja Mundial do Poder de Deus.

Nos quase seis meses de operações, a Loading fez muito. Trouxe ótimos profissionais especialistas em cultura pop para apresentar seus principais programas, exibiu excelentes animes inéditos na TV, como Assassination Classroom, My Hero Academia e Attack on Titan, resgatou clássicos como O Mundo de Beakman, e deu espaço a produtores de conteúdo. Infelizmente, o sonho durou pouco.

Leia outros textos do colunista AQUI

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....