Exclusivo

Quem será? Personagem inesperado volta do cemitério para assombrar Gilda em Amor Perfeito: “Não morreu?”

Megera passará por apuros nos próximos capítulos do folhetim de Duca Rachid

Publicado em 25/03/2023

Em cenas que estão previstas para irem ao ar em breve em Amor Perfeito, Gilda (Mariana Ximenes) cairá para trás ao descobrir que Leonel (Paulo Gorgulho) forjou a própria morte. A tal descoberta deixará a megera em estado de choque.

“Gilda faz uma nova visita surpresa aos Padres – sob pretexto de organizar a solenidade pública em que eles receberão, das mãos dela, a escritura do terreno onde está a Irmandade São Jacinto dos Clérigos. É então que descobre que Leonel está vivo. Gilda sente-se muito ameaçada. Mas é obrigada a afetar grande emoção e felicidade com a volta do marido, ‘lamentando’ que ele não se lembre quem tentou matá-lo”, descreve Duca Rachid em seu texto.

Personagens desse texto:

LEONEL RUBIÃO (Paulo Gorgulho) – É o patriarca da família Rubião, a mais rica e mais poderosa de Águas de São Jacinto, cidade que se desenvolveu à luz do complexo hoteleiro e balneário, fundado por ele. Empreendedor, otimista e expansivo, Leonel se tornou um homem soturno, reservado e impiedoso após a morte da primeira mulher, Maria Eugênia (Karen Marinho), a única que ele amou. Sem a reserva ética e moral de Eugênia, ele se envolve cada vez mais em falcatruas e conluios para manter e ampliar seu poder. Isso inclui um acordo com Anselmo (Paulo Betti), cuja candidatura a nomeação como prefeito pelo Interventor do Estado é apoiada por Leonel, em troca do direito quase perpétuo do empresário explorar as águas termais de São Jacinto – as nascentes estão em terras de Anselmo. Após a morte de Eugênia, Leonel casa-se com Gilda (Mariana Ximenes), mulher interesseira, ambiciosa e dissimulada, que esconde a rivalidade que sente em relação a Marê (Camila Queiroz), a única filha do marido. Uma rivalidade que se revela quando Leonel é misteriosamente assassinado e a madrasta arma uma farsa jurídica para que Marê seja condenada e presa, e perca o direito ao patrimônio do pai.     

Marê (Camilo Queiroz) e Marcelino (Levi Asaf) em Amor Perfeito
Marê Camilo Queiroz e Marcelino Levi Asaf em Amor Perfeito

MARIA ELISA RUBIÃO, MARÊ (Camila Queiroz) – É a heroína da história. Filha única de Leonel Rubião (Paulo Gorgulho) e da falecida Maria Eugênia (Karen Marinho). O pai é obcecado por ela, pois a moça é em tudo o retrato da mãe, Maria Eugênia, única mulher que Leonel amou de verdade. Apesar de fisicamente parecidas, Marê e Eugênia são muito diferentes. Ao contrário da mãe, Marê é sagaz e muito independente. Tanto que venceu a resistência do pai e foi estudar Administração e Finanças em São Paulo. De volta a Águas de São Jacinto, Leonel insiste em mantê-la sob seu domínio, querendo obrigá-la a se casar com Gaspar (Thiago Lacerda), filho do prefeito da cidade, em troca de ela assumir a presidência do Grupo Rubião, o mesmo posto pleiteado por Gilda (Mariana Ximenes), sua madrasta. Mas Marê tem outros planos. Está apaixonada e quer se casar com Orlando (Diogo Almeida), médico que conheceu em São Paulo. 

GILDA RUBIÃO (Mariana Ximenes) – Mulher ambiciosa, além de mestra na arte da dissimulação. Casa-se com Leonel (Paulo Gorgulho) por interesse, de olho na presidência do Grupo Rubião. Tem uma rivalidade velada com a enteada, Marê (Camila Queiroz), que é a candidata natural ao cargo. Gilda prepara uma armadilha para Marê, incriminando-a pelo assassinato do pai, após um processo sujo e fraudulento. Marê e Gilda vão travar um embate sem tréguas, numa disputa pelo poder. 

Marê (Camila Queiroz), Gilda (Mariana Ximenes) e Leonel (Paulo Gorgulho)
Marê Camila Queiroz Gilda Mariana Ximenes e Leonel Paulo Gorgulho em Amor Perfeito

Amor Perfeito é criada e escrita por Duca Rachid e Júlio Fischer com direção artística de André Câmara. A obra é escrita com Elísio Lopes Jr, com a colaboração de Dora Castellar, Duba Elia e Mariani Ferreira. A direção é de Alexandre Macedo, Lúcio Tavares, Joana Antonaccio e Larissa Fernandes. A produção é de Isabel Ribeiro e a direção de gênero de José Luiz Villamarim. 

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade