Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
FICÇÃO X DOC

The Offer: ator dá ótima resposta aos críticos detalhistas ‘cara, crachá’

Minissérie sobre os bastidores da gravação do filme O Poderoso Chefão foi alvo de comentários negativos

Publicado em 18/06/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Minissérie encerrada na última sexta-feira (17) no Paramount+, The Offer foi brilhante ao narrar os bastidores do filme O Poderoso Chefão (1972). Porém, não faltaram críticos “cara, crachá”, que assistiram aos episódios como se fossem jurados de escola de samba, mais interessados em achar defeitos e erros na reconstrução de eventos reais do que admirar o trabalho artístico. Matthew Goode, um dos grandes nomes do elenco da narrativa, deu uma ótima resposta a esse tipo de reação.

“É engraçada essa visão contra o projeto”, falou Goode, em entrevista ao site Deadline. “Tipo, ok, talvez isso realmente não tenha acontecido exatamente dessa forma ou aquilo apresentado não ocorreu de fato… mas você gostou da atuação? Você gostou do trabalho entregue por tantas pessoas esforçadas?”

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

“Você curtiu como eles [produtores] recriaram cenas de O Poderoso Chefão e construíram o mesmo cenário do filme?”, continuou. “Você gostou daquela gravação de cena? Eu acredito que algumas críticas foram cruéis. Mas, de modo geral, o público amou a série, isso é o que nós esperávamos.”

A visão de Matthew Goode é bem pertinente. Afinal, trata-se de uma minissérie ficcional baseada em fatos reais, não é um documentário. The Offer não está sozinha nesse alvo do crítico “cara, crachá”, que compara eventos reais com uma atração apenas para falar mal, ao invés de usar isso como informação extra e válida ao público.

Você gostou da atuação?. Essa frase de Goode se destaca, podendo ser aplicada em outras produções recentes inspiradas em histórias verídicas, como Lakers: Hora de Vencer, Pam & Tommy e A Escada, que foram atacadas por “jurados de escola de samba”.

O ponto mais sensível dentro de tal contexto é como uma pessoa real é representada. Quem está sendo interpretado por alguém, principalmente se não foi consultado previamente pela obra televisiva, geralmente vai descer a lenha na representação artística. O que ocorreu com o ex-jogador da NBA Jerry West (Lakers: Hora de Vencer) e o escritor Michael Peterson (A Escada).

Goode, no caso, deu vida a uma figura notória de Hollywood, o executivo Robert Evans, que morreu em 2019. Quem conviveu com esse nome lendário da indústria do cinema americano elogiou o ator por imprimir todos os trejeitos de Evans, principalmente acertando o tom de voz bem peculiar e marcante do executivo. ⬩

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....