Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
MUNDO INVERTIDO

Stranger Things estreou há 6 anos sem marketing e ignorada pela Netflix

Ícone da cultura pop, hoje o drama sobrenatural é uma das séries âncoras da gigante do streaming

Publicado em 23/05/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Relembrar como foi a estreia de Stranger Things na Netflix, às vésperas do lançamento da quarta temporada, parece ser uma viagem ao Mundo Invertido. Atualmente uma das séries âncoras da gigante do streaming e quase onipresente no mundo da publicidade, Stranger Things estreou há seis anos totalmente despercebida, apenas para cumprir tabela na plataforma. Só após muita propaganda boca a boca que o drama sobrenatural engatou e se tornou um ícone da cultura pop.

Antes de Stranger Things estrear em 15 de julho de 2016, a Netflix até fez uma festinha de lançamento nos Estados Unidos, mas era aquela première só para constar mesmo. Pois o que importava mesmo, as propagandas diversas em tudo o que é lugar como se vê hoje, não rolou. Assim, a série entrou no catálogo sem ser notada previamente. 

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Naquela época, a Netflix estava apostando mesmo em Marco Polo, cuja segunda temporada estreou duas semanas antes de Stranger Things. Cegamente, a gigante do streaming acreditava que a série com ares de trama épica seria o próximo grande sucesso. Ali foram investidos rios de dinheiro. Marco Polo entrou para a história como um dos maiores flops da Netflix, não passando dessa segunda temporada.

Winona Ryder, nostalgia e Steven Spielberg

Nos dias antes de Stranger Things ser lançada, o público sabia apenas que a série era protagonizada por Winona Ryder, o grande chamariz da produção. A imprensa estampava o nome da atriz nas manchetes associadas ao drama sobrenatural, porque era realmente a figura mais proeminente. Stranger Things era a série da Winona Ryder na Netflix.

A atriz Winona Ryder na primeira temporada de Stranger Things

Críticos apontaram uma tabelinha que o público captou de cara, entre aqueles que assistiram antes do hype. A história da atração combinava a nostalgia dos anos 1980 com uma pegada de filme de Steven Spielberg (e enredo tipo Stephen King). Essa fórmula era a apresentada por quem indicava Stranger Things para outra pessoa.

E deu certo. Naquele tempo, a Netflix guardava os dados de audiência a sete chaves. Mas ela revelou um dado importante, que ilustrou bem o status da série: 70% das pessoas que assistiram ao segundo episódio terminaram a temporada de estreia. Contudo, isso aconteceu dias depois de ele ficar disponível, pegando no tranco após o tal boca a boca.

Atualmente, a própria Netflix divulga os números absolutos de audiência (sem auditoria externa, mas ok). Há seis anos, a Symphony Advanced Media era a empresa mais conhecida que fazia a aferição do ibope da gigante do streaming. 

Segundo levantamento da Symphony, Stranger Things foi apenas a quinta série mais vista da Netflix, nos três primeiros dias após o lançamento, em todo o ano de 2016, atrás de Demolidor, Luke Cage, Orange Is the New Black e Fuller House.

Em uma pesquisa mais ampla, computando os primeiros 35 dias depois do lançamento, Stranger Things ficou atrás de Orange e Fuller House no ranking, considerando os adultos de 18 a 49 anos.

David Harbour na primeira temporada de Stranger Things

Marketing zero

A pessoa de fora percebeu o pouco caso da Netflix com Stranger Things. Agora, imagina como foi a sensação de quem fez a série? O ator David Harbour, o xerife Jim Hopper na história, não esqueceu o que aconteceu na época.

No ano passado, durante participação na Comic Con de Nova York, o ator recordou aquele julho de 2016. Em um comentário, ele até ironizou executivos da Netflix. 

“O pessoal do departamento de publicidade [da Netflix] alegou depois que aquilo [ignorar a série] fazia parte do plano desde sempre“, contou o ator no evento geek. “Mas eu não acredito que isso seja verdade”. Harbour ainda zombou dos marqueteiros ao dizer que eles “simplesmente eram gênios.”

Stranger Things bombou quando uma pessoa passou a falar para a outra sobre como a série, com adolescentes em meio a um mistério sobrenatural, era interessante e merecia ser vista. Havia espanto porque muitos nem sabiam que o drama existia.

Harbour compartilhou uma conversa que teve com o colega ator Paul Wesley (The Vampire Diaries), semanas antes de Stranger Things estrear. Os dois trabalhavam em uma peça de teatro e Harbour demonstrou insegurança, pois não via nada nas ruas de Nova York sobre a atração.

“Eu disse a ele: ‘Não vejo nenhuma propaganda, nem em ônibus nem nos telefones públicos. Simplesmente não tem propaganda [da série]‘”, relembrou o ator, que estava em pânico. “Daí Paul me disse: ‘Sinto muito, cara. Eles [Netflix] estão querendo esconder a série. É claramente uma série ruim’.”

O primeiro volume da quarta temporada de Stranger Things estreia na sexta-feira (27), na Netflix. Antes, veja os primeiros oito minutos da nova leva de episódios:

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....