Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
EX-DELEGADA DA ONU

Sem nunca ter atuado, jovem ativista é escalada para nova série da Netflix

Cega, Aria Mia Loberti será a atriz principal de Toda Luz que não Podemos Ver; conheça

Publicado em 09/12/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A Netflix achou no mundo acadêmico a protagonista da promissora minissérie Toda Luz que não Podemos Ver. Após rodar o planeta realizando diversos testes de elenco, a gigante do streaming encontrou a atriz ideal para a trama em Aria Mia Loberti, a primeira pessoa legalmente cega a ser delegada jovem das Nações Unidas, a ONU.

Em setembro, o diretor Shawn Levy (Stranger Things) anunciou a procura de atrizes cegas ou com deficiência visual para viver o papal da protagonista de Toda Luz que não Podemos Ver, a adolescente Marie-Laure, uma menina cega que está no centro de uma história ambientada na França, durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Levy explicou como achou Aria. “Não foi nada fácil encontrar uma atriz para viver a icônica Marie-Laure”, disse em um comunicado enviado à imprensa. “Nós rodamos o mundo e analisamos milhares de testes. Nunca imaginaríamos que nosso caminho iria terminar em alguém que não apenas nunca atuou, mas sequer fez algum teste de elenco na vida.”

O diretor afirmou que foi irresistível ver Aria pela primeira vez, de cair o queixo, por demonstrar uma naturalidade ímpar. Soma-se o fato de ela ser uma ativista. Na ONU, ela representou as mulheres americanas com deficiências, defendendo políticas de ensino e empoderamento.

Aria ficou sabendo do teste após um aviso dado por uma ex-professora. Como ela conhecia a história do livro, resolveu arriscar.

Universitária com três graduações (biologia, ciências políticas e comunicação), Aria atualmente cursa um doutorado em retórica na prestigiada Universidade Estadual da Pensilvânia.

Toda Luz que não Podemos Ver foi um dos maiores fenômenos do mercado editorial da década passada, ganhando prêmio Pulitzer e acumulando mais de 200 semanas na lista de best-sellers do jornal de The New York Times. Publicado no Brasil pela Intrínseca, o livro escrito por Anthony Doerr já vendeu mais de 9,5 milhões de cópias no mundo todo.


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....