Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
BATATA QUENTE

Após balanço decepcionante, ações da Netflix despencam no Brasil e nos EUA

Valor de mercado da gigante do streaming sofreu uma queda brusca

Publicado em 21/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Os acionistas brasileiros e americanos não gostaram nada do balanço financeiro decepcionante apresentado pela Netflix na última quinta-feira (20). Nesta sexta, tanto na Ibovespa (São Paulo) quanto na Nasdaq (Nova York), as ações da empresa americana despencaram bruscamente, uma queda que chegou a 33% em relação ao dia anterior.

Na Ibovespa, a ação da Netflix estava sendo negociada (à tarde) por R$ 43,52, um valor 25% menor comparado ao do fechamento de quinta. O volume de transações, a quantidade de papéis negociados no dia, chegou a 505 mil, ante os 19 mil no final da tarde de ontem, antes da divulgação do balanço.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O termômetro na Nasdaq é similar. A questão é que a bolsa nova-iorquina dita o ritmo dos acionistas ao redor do mundo e o impacto das negociações é muito maior. À tarde, a ação saiu por US$ 400, perda de valor em 33%.

Tudo isso porque os analistas financeiros, principalmente os de Wall Street, ficaram decepcionados com o balanço do quarto trimestre de 2021 da Netflix. A empresa não cumpriu a meta estabelecida de angariar novos assinantes no período (estabeleceu meta de 8,5 milhões de clientes a mais, ficou 200 mil abaixo disso). E a projeção para o futuro não é atraente.

No caso dos Estados Unidos, acrescenta-se o aumento do preço das assinaturas como ingrediente indigesto. Em um primeiro momento, os acionistas até gostaram da ideia (possibilidade de mais lucro), com o preço das ações subindo

Mas como a expectativa é não haver um crescimento substancial de novos usuários, a debandada está em curso. Há um receio que a gigante do streaming tenha se aproximado do teto de clientes, sem espaço para expandir. Vale lembrar: nos EUA, a Netflix é o streaming com as mensalidades mais caras.


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....