Viúva de Ricardo Boechat fala sobre quadro em novo matinal da Band e o carinho do público: “Ele ficaria feliz”

Publicado há um ano
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta quarta-feira (22), a Band realizou em São Paulo a coletiva de imprensa do Aqui na Band, novo matinal da emissora que será lançado na próxima segunda-feira (27). O formato terá Silvia Poppovic e Luís Ernesto Lacombe na apresentação.Convidada pelo diretor da produção, Vildomar Batista, Veruska Seibel Boechat, viúva do jornalista Ricardo Boechat, terá um quadro no programa chamado Doce Veruska.

O nome é um apelido pelo qual o saudoso jornalista costumava chamar a mulher. “Comecei a entrar aqui para gravar e é um mix de emoções, porque tudo aqui tem a cara dele [Ricardo], eu só vinha para acompanhar. Queria uma oportunidade de voltar a trabalhar, porque foram 14 anos dedicados só à família. Quando eu conheci o meu marido, tinha uma coluna social em Vitória (ES)”, relembrou a famosa ao Observatório da Televisão.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nova oportunidade

“Eu tô chorando há três meses, e tenho um quadro que quando chego aqui eu choro. Fico até arrepiada com a definição, que é pra ajudar famílias onde a mulher virou a força principal, ou a única força, e de alguma forma ajudar essas pessoas”, detalhou a jornalista.

Veruska disse estar grata com a oportunidade e sobre nunca ter feito TV. “Não sou do meio, essas pessoas têm tanta coisa a ensinar, a gente está se curtindo, a reunião de pauta foi de uma riqueza incrível. Eu posso dizer que apesar do formato, é muito diferente, as pessoas têm coisas que não estão sendo ditas pra falar”, analisou a morena.

Carinho do público

Questionada sobre o carinho do público após o falecimento de Boechat, a mulher falou que o afeto foi o que a salvou e que também ajudou na dor da sua sogra. “Estou impressionada, na minha rede social ninguém me xinga, realmente são gentis, torcem por mim”, destacou Seibel.

“Uma pessoa na rua me parou e pediu um abraço. Todas as pessoas vêm me dar um abraço. Acho que ele [Boechat] ficaria feliz de ver esse carinho. Isso está me fazendo muito bem. Não posso ficar deitada, tenho que levantar e superar a minha dor”, concluiu Veruska.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais