À vontade

Substituta no Encontro, Fernanda Gentil diz que a atração tem mais “sua cara” que o Se Joga

A apresentadora falou sobre o desafio de substituir Fátima Bernardes

Publicado em 14/11/2020

Alçada ao posto de substituta de Fátima Bernardes em seu programa Encontro, Fernanda Gentil tem mostrado muito traquejo na condução do matinal. E não se trata apenas de uma impressão: a apresentadora revelou que o formato da atração a agrada muito.

Numa live promovida pela revista Quem, Fernanda falou sobre o atual trabalho na Globo. “O Encontro, no entretenimento, é o formato que mais me agrada fazer e o que eu mais me encaixo. Se Joga era um outro formato, não é muito a minha cara. Encontro é o formato que eu curto mais, e isso está sendo notado. Eu fico à vontade com esse formato de entrevista, de falar coisas sérias e depois poder brincar um pouco mais. Dar uma respirada e cobrar ao mesmo tempo, prestar um serviço”, confessou.

No entanto, Fernanda não conseguiu driblar o nervosismo ao assumir tal responsabilidade. Mas ela revela que a própria Fátima Bernardes a tranquilizou. “Assumi o Encontro numa segunda-feira. No domingo, eu em casa, tensa, nervosa, cheia de herpes e asma, rezando, ela me mandou uma mensagem. Ela parou o domingo dela pré-férias para perder o tempo dela para falar comigo. Quem sou eu na fila do pão na vida dela? Me desejou boa sorte e falou para eu me divertir”, revelou.

A apresentadora, aliás, não economizou elogios à titular do Encontro. “Nunca escondi minha admiração por ela. Sempre falei publicamente. Não tem como a pessoa ser jornalista, principalmente da minha geração, e não admirar e acompanhar a carreira dela. Admiro não só como jornalista, mas como mulher e mãe”, disse.

Fernanda Gentil foi uma das grandes revelações do jornalismo esportivo da Globo dos últimos anos. O jeito descontraído a levou a trocar o esporte pelo entretenimento da emissora em 2019. Seu primeiro projeto na nova área foi o vespertino Se Joga, que não emplacou em audiência e foi duramente criticado. A atração saiu do ar no início da pandemia, e não se sabe se ela retornará.