Segue o Som celebra a vida e a obra de Ivan Lins neste sábado

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O programa Segue o Som reverencia a carreira do pianista, cantor e compositor Ivan Lins na edição deste sábado (5), às 15h, na TV Brasil. Durante a entrevista para o apresentador Maurício Pacheco, o convidado recorda episódios curiosos de sua trajetória de quase 50 anos de vida artística.

Gravado por ícones da música mundial como George Benson e Quincy Jones, ele também se destaca como autor na carreira de grande cantoras brasileiras como Elis Regina e Simone. Consciência crítica, visão ampla e responsabilidade como artista em um país com história de luta e resistência são algumas da características que Ivan Lins reuniu e deixa de legado em sua obra.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Luana Piovani alfineta chamada de Segundo Sol: “Que Bahia é essa?”

Em 2015, quando completou 70 anos, o músico comemoru à época lançando um novo disco, “América, Brasil”, com regravações e canções inéditas compostas com seu parceiro de vida toda, o letrista Vitor Martins.

No papo com Maurício Pacheco, Ivan Lins demonstra certo desgosto com o mercado musical da atualidade, marcado, em sua opinião, pela desvalorização do artista. Mas o tom de lamento passa longe quando o assunto são os projetos atuais e as perspectivas para o futuro.

Leia também:  Cidade Alerta tem audiência histórica em abril e alcança melhor média mensal desde 2014

Ivan comenta também sua veia jazzística, explicando que não separa sua sonoridade entre música popular e jazz, fluindo tudo de forma harmônica. “Minha música é minha música, eu toco uma música sertaneja, que mistura sertanejo com música cubana, por exemplo”, conta.

Além de seu talento como músico, Ivan relembra situações peculiares, como quando quase fez parte do célebre disco “Thriller” de Michael Jackson e mostra outras facetas menos conhecidas do grande público, como o trabalho na gravadora Velas, que nos anos 1990 foi responsável por lançar nomes como Lenine e Chico Cesar.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio