Rodrigo Faro e Record são condenados por tortura em antigo quadro do O Melhor do Brasil

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Justiça do Estado do Mato Grosso condenou a Record e o apresentador Rodrigo Faro a indenizar um homem que participou do quadro Arruma Meu Marido, um dos mais icônicos do antigo O Melhor do Brasil, primeira atração que Faro comandou na emissora.

A sentença foi proferida pelo juiz titular da 7ª Vara Cível de Cuiabá, Yale Sabo Mendes. Em seu despacho, ele diz que o programa não queria ajudar o homem escolhido, e sim fazê-lo passar por uma humilhação.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Record define a ordem de exibição dos realities em 2018

O processo foi movido por Walmor Ferreira. Em 2011, ele deixou a barba crescer por oito meses e depois, passou por uma reformulação completa dentro da atração que, na época, era exibido aos sábados à tarde.

Tal transformação incluiu limpeza de pele, botox, corte de cabelo e um tratamento dentário. O problema foi justamente o último caso. Em vez do tratamento, ele teve doze dentes extraídos, ficando com muitas dores na região da boca.

Segundo os autos, nem mesmo “altas doses de anestésicos” amenizaram a dor de Walmor. Ele, num primeiro momento, se recusou a participar do programa, mas foi convencido pela produção de Faro.

Para tanto, ele seguiu algumas recomendações, como não fazer movimentos bruscos para que a dentadura que usava por conta da extração dos dentes não caísse. Por conta disso, ele só ingeriu líquidos por quatro meses.

Walmor pediu um novo tratamento, mas segundo ele, recebeu da produção do programa apenas uma dentadura que não poderia ser usada por ele, “pois não fixa em sua boca em razão da gengiva ter sido praticamente mutilada pela dentista do programa“, diz os autos do processo.

Um laudo psiquiátrico comprovou que Walmor entrou em depressão por conta do acontecido. Na defesa, a Record alegou argumentos fantasiosos e disse que Walmor já não tinha a maioria dos dentes, além de obter uma gengiva muito comprometida.

O magistrado não aceitou o argumento e condenou a emissora e o apresentador a pagarem R$ 137 mil, por danos morais e valor de tratamento dentário prometido. Além disso, o juiz decidiu que o quadro não pode ser reprisado pela Record. A decisão ainda cabe recurso em altas esferas da Justiça.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio