Relembre a minissérie Amazônia, uma produção que impressionou pela grandiosidade

Publicado há 3 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em meio à luta que a maior floresta tropical do mundo trava contra o desmatamento e as polêmicas, em Brasília, sobre políticas para sua preservação, a Amazônia continua sendo um celeiro de boas histórias. A selva já foi tema de um produto televisivo, há pouco mais de dez anos, e é dele que vamos recordar.

Apontada como uma produção grandiosa, daquelas que marcam época na televisão brasileira, Amazônia – de Galvez a Chico Mendes foi produzida em 2007, ainda na época em que a Globo apresentava minisséries mais longas, no início do ano. A autora Gloria Perez, que nasceu no Acre, recebeu a missão de desenvolver o roteiro que contou a saga dos seringueiros no norte do Brasil.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dividida em três fases, a minissérie conta basicamente a história do Acre. Começa com a ascensão do território, com brasileiros em busca da prosperidade na exploração de seringueiras, passa pela decadência do negócio e, por fim, fala da luta contra o desflorestamento da Amazônia, um dos principais biomas do mundo.

Veja também: Relembre Sarita, a controversa personagem de Explode Coração

O numeroso elenco contou com nomes conhecidos da teledramaturgia brasileira, como Cássio Gabus Mendes, Eva Todor, Alexandre Borges, Antonio Pitanga, Caio Blat, Bruna Marquezine, Cacau Melo e Irene Ravache, além de Giovanna Antonelli, Humberto Martins, Jandira Martini, Antônio Caloni, José de Abreu, Jayme Periard, Juca de Oliveira, José Wilker, Julia Lemmertz e Letícia Spiller.

De acordo com a Globo, as equipes de produção gravaram, na região, por 72 dias para 55 capítulos de minissérie. A emissora carioca optou, inclusive, por construir duas cidades cenográficas, em meio à floresta amazônica. Para isso, utilizou materiais feitos no local e reuniu aproximadamente 300 profissionais para trabalharem numa área de cerca de dois mil metros quadrados.

Os números continuam impressionantes quando se considera que os 150 profissionais de produção trabalharam com 20 toneladas de equipamentos, levados do Rio de Janeiro, além da produção de 16 mil peças de figurino exclusivamente para a minissérie.

Os números de audiência não impressionaram, apesar da alta expectativa sobre a trama. O elevado número de personagens e tramas paralelas podem ter prejudicado a história, além do romance entre os personagens centrais ter jogado para segundo plano a real essência da minissérie.

Para se ter ideia, JK, que foi exibida um ano antes, no mesmo período, marcou 31 pontos no primeiro mês. Já a produção de Gloria Perez, 24. A média final da primeira foi de 25 pontos, da segunda, 22. Uma diferença considerável para produções exibidas praticamente nos mesmos moldes.

Amazônia, de Galvez a Chico Mendes deu sequência a uma série de superproduções da Globo, de autoria de Gloria Perez. Antes da minissérie, a emissora havia realizado sua novela mais cara, América, que foi gravada em três países: Brasil, México e Estados Unidos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais