Recordar é TV resgata entrevista de Elza Soares para a TVE do Rio nos anos 1980

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O programa Recordar é TV desta terça (10), às 21h30, na TV Brasil, volta ao início da década de 1980 e apresenta trechos de uma edição do programa “Água viva” que recebeu a diva Elza Soares na TVE do Rio de Janeiro. Sob a condução elegante de Hermínio Bello de Carvalho, a atração traçou o perfil de uma das maiores cantoras do país.

Leia também: José Mayer é citado em atração da Globo

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O especial intercala interpretações de sucessos como “Devagar com a louça”, “Se acaso você chegasse”, “Vem morar comigo” e “Quero morrer no carnaval” com depoimentos da musa numa entrevista franca em tom intimista.

Durante a conversa com o apresentador, poeta e produtor musical, ela conta casos curiosos de sua trajetória. Elza Soares mergulha em sua rica história de vida com delicadeza. A cantora fala de coração aberto sobre temas como a infância, a família e o início da carreira em Buenos Aires.

Espontânea, a artista faz declarações com a sinceridade que lhe é peculiar no decorrer do descontraído papo. Ela ainda lembra da hilária ocasião em que fez uma feijoada para o Mané Garrincha em um hotel na cidade espanhola de Madri.

Com seu timbre inconfundível, Elza diz que certa vez teve de explicar sua aptidão para o samba. “Uma vez me perguntaram como aprendi a cantar samba. Aprendi a cantar samba com lata d’água na cabeça e filho na barriga porque eu fui mãe aos 12 anos”, afirma.

Ela ainda revela de onde vem a rouquidão característica de sua voz. “Cada vez que eu pegava a lata eu dava um gemido com a voz rouca. Um dia eu sismei que isso dava um suingue e deu soul”, recorda a artista que destaca a intolerância que já existia na época. “A tal cantora não se conformava em ver a criola cantar samba. Eu dizia que tava no sangue. E para a gente não brigar, parou nisso mesmo”, sentencia.

No início da atração, o já experiente Hermínio Bello de Carvalho apresenta Elza Soares como uma moça que no início dos anos 1960 revolucionou o samba com a sua interpretação única para o clássico “Se acaso você chegasse”. O bamba destaca as improvisações que fizeram a artista tomar conta do mercado e ser considerada a maior sambista do país na época.

Edições temáticos e homenagens

Com apresentação da jornalista Alessandra Lago e direção de Henrique Lima, o programa Recordar é TV leva ao telespectador conteúdos que representam momentos importantes da memória da televisão brasileira a partir de material preservado no acervo da emissora pública com os registros feitos na época da TVE do Rio de Janeiro.

Shows, programas de auditório, grandes entrevistas, matérias jornalísticas marcantes, musicais e peças de teledramaturgia serão revisitados em nova roupagem pela atração. O objetivo é tornar esses vídeos de acervo atraentes ao grande público e alvo da curiosidade daqueles que se interessam pela história das mídias como um dos expoentes da cultura nacional.

Para as próximas semanas estão previstas edições temáticas com grandes ícones da música, além de homenagens a artistas consagrados como Nathália Timberg, Antônio Abujamra, Nelson Rodrigues e Radamés Gnattali, entre outros.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio