Para ficar mais forte, Band estuda seguir mesmo caminho do Grupo Globo

Publicado há 2 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Band estaria já planejando
uma integração maior entre todos os seus veículos. A ideia é seguir os mesmos
passos da Globo que mexeu em sua estrutura para unir as diversas empresas que operam
todo o grupo empresarial. A emissora do Morumbi não tem o mesmo tamanho do
canal carioca, mas a proposta é a mesma.

De acordo com o colunista Flávio Ricco, já existe uma porção de diretores com essa intenção. Marcas como Band Sports, Band News, Arte 1 ou Band News FM trabalhariam juntas, inclusive no conteúdo. Atualmente, elas ficam separadas e não há uma conversa entre os profissionais de cada emissora, por exemplo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Vale lembrar que, ainda sob a gestão do argentino Diego Guebel, que esteve recentemente na emissora, o Grupo Bandeirantes pensou em fazer uma integração nos mesmos moldes, mas não foi possível. Segundo o colunista, foram encontradas dificuldades e haviam outros interesses em jogo. Mas, agora, a ideia ganha força, já que o principal veículo do grupo, a Band, está em uma crise sempre precedentes em sua audiência e finanças.

Ainda sobre ao Grupo Bandeirantes

Nesta sexta-feira (10), a Band News FM resolveu homenagear Ricardo Boechat, jornalista que trabalhava na rádio e que faleceu em fevereiro, após a queda de um helicóptero em São Paulo que tinha o profissional dentro.

Aproveitando que no próximo domingo (12) será comemorado o Dia das Mães, a rádio transmitiu um áudio de dona Mercedes, mãe de Boechat. Eduardo Barão, apresentador da emissora, ficou emocionado ao anunciar a gravação.

“Essa lembrança que você vai ouvir a partir de agora é de uma pessoa muito querida, muito amiga, para quem eu mando um grande beijo, a dona Mercedes. Mando um beijão”, declarou o comunicador, com a voz embargada.

“Lembranças da nossa infância e da infância dos nossos filhos vêm à nossa mente. Beijos, abraços, presentes e a felicidade de estarmos juntos. Mas há outro grupo de mulheres que, nesse dia, o coração está mais apertado”, iniciou a senhora.

“São aquelas que quando passam escutam murmurar: ‘Coitadas, perderam o filho’. Isso não é verdade, não perderam nada. Elas tiveram um filho, que permanece em sua mente e em seu coração. Viveram com eles sonhos, esperanças, frustrações, com os quais riram e choraram”, refletiu a idosa.

“Que se fizeram homens e mulheres. Sim, são parte de nós. Não importa em que parte do caminho eles deixaram de percorrer, mas nos deixaram a sua presença. Devemos festejar essa data, pois sempre seremos mães”, concluiu Mercedes.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio