Os 21 anos da primeira versão de Chiquititas, febre dos anos 1990

Publicado há 2 anos
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em 28 de julho de 1997, o SBT estreou Chiquititas, que se tornaria uma de suas novelas de maior sucesso. A história da diretora Carolina e das crianças do Orfanato Raio de Luz marcou uma geração, tanto que mereceu nova versão 16 anos depois. Vamos relembrar a primeira.

A história foi criada por Patricia Maldonado, Gustavo Barrios e Cris Morena. As gravações ocorriam em Buenos Aires, numa coprodução do SBT com a argentina Telefe. Essa emissora produziu a versão original da novela, que em 1997 já estava em sua terceira temporada. Os atores, menores de idade, tiveram de se mudar com as famílias para a capital da Argentina. Ainda, era de fundamental importância que dançassem e, preferencialmente, cantassem, para os muitos números musicais que o enredo pedia.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O orfanato fora criado por um homem muito rico, José Ricardo de Almeida Campos (Rogério Márcico). Mas as motivações passaram longe da bondade e da generosidade. Sua intenção foi dar um lar à neta bastarda, Milena (Mili), filha de sua filha Gabi com um empregado da família. Após anos liderado por Dona Emília (Maria Estela), a saída da diretora motivou a contratação de outra pessoa. Desse modo, foi assim que Carolina (Flávia Monteiro) ganhou o emprego e foi cuidar das crianças órfãs.

Chiquititas (Divulgação)

Nem todos eram órfãos em Chiquititas

Além de Mili (Fernanda Souza), o orfanato abriga inicialmente também as irmãs Vivi (Renata Del Bianco) e Tati (Ana Olívia Seripieri), Cris (Francis Helena), Ana (Beatriz Botelho), Bia (Giselle Frade) e Pata (Aretha Oliveira). Esta pouco depois começa a conviver com um meio-irmão que também vai para o Raio de Luz: Mosca (Pierre Bittencourt). Aliás, ele se torna o primeiro menino acolhido pela instituição e provoca suspiros de Vivi e Cris. As crianças internas não eram necessariamente órfãs: Vivi e Tati, por exemplo, tinham pai. Todavia, o homem tinha problemas para cuidar delas e perdeu sua guarda. Depois, Dani (Giselle Medeiros), que fica órfã e é filha de uma amiga de Carolina, também vai para lá.

Enquanto Carolina é bondosa, carinhosa e justa com as crianças, Carmem (Débora Olivieri) é o oposto. A irmã de José Ricardo, que passa a ter autoridade sobre o orfanato após a morte do fundador, é cruel e má. Ela deseja tirar Carolina do posto e dirigir a vida dos internos a seu modo. Também merecem destaque o cozinheiro Chico (Gésio Amadeu) e a temida inspetora Ernestina (Magali Biff).

Os amores de Carolina em Chiquititas

Inicialmente, o par de Flávia Monteiro era Alex Benn. Ele vivia o papel de Júnior, filho de José Ricardo. Mas logo entrou em cena o médico Fernando (Nelson Freitas), que arrebatou o coração da jovem após alguns desentendimentos iniciais. Carmo Dalla Vecchia também formou par com Flávia, com o personagem Rian.

Nomes que se lançaram em Chiquititas

Chiquititas lançou para o estrelato alguns talentos que ainda se encontram na telinha. O maior deles talvez seja Fernanda Souza. Ela já havia feito uma novela – Razão de Viver (1996), também no SBT – e era conhecida dos espectadores do infantil X-Tudo, da TV Cultura. Mas foi Mili que Fernanda ganhou o estrelato e carimbou seu passaporte para a Globo, onde está até hoje. Atualmente ela apresenta ao lado de Luan Santana o musical Só Toca Top, nas tardes de sábado.

Carla Diaz, que esteve recentemente em A Força do Querer e Malhação – Vidas Brasileiras, também surgiu em Chiquititas, como Maria. Anteriormente ela havia feito apenas uma breve participação nos últimos capítulos de Éramos Seis (1994) como filha de Lili (Flávia Monteiro) e Marcos (Nelson Baskerville).

Outros nomes que passaram por Chiquititas ao longo de suas cinco temporadas foram: os irmãos Sthefany Brito e Kayky Brito; Débora Falabella; Bianca Rinaldi; Paulo Nigro; Bruno Gagliasso; Greta Antoine; Jonatas Faro; entre outros. Só para ilustrar, logo após a novela, Débora, Sthefany e Jonatas foram fazer Um Anjo Caiu do Céu (2001), de Antonio Calmon, na Globo.

Afinal, Chiquititas pode ser considerada a novela brasileira mais longa?
Elenco de Chiquititas na última temporada (Divulgação)

Não. O problema é que nos períodos de férias de verão ela chegou a ser substituída na grade do SBT por outras novelas infantis, essas mexicanas: Luz Clarita e O Diário de Daniela. Após as pausas, as novas temporadas tinham início. Em razão desse expediente, de temporadas e exibição não contínua, com novos enredos após as “férias”, o posto de novela brasileira mais longa não fica com Chiquititas. A saber, da estreia em julho de 1997 até o final da quinta temporada em janeiro de 2001, foram exibidos 807 capítulos. Depois disso, a primeira temporada teve uma reprise compactada entre novembro de 2004 e abril de 2005. Seus quase 200 capítulos foram reprisados em cerca de 120.

Relembre abaixo as aberturas da novela na época:

Chiquititas, o remake
Giovanna Grigio, a Mili da segunda versão de Chiquititas (Divulgação)

Em 2013, com o propósito de prosseguir com o sucesso de Carrossel, o SBT fez outro resgate de um título clássico da emissora. Assim, recorreu a Chiquititas, agora gravada no Brasil e com texto de Iris Abravanel. Nos papéis principais dessa versão estiveram Manuela do Monte (Carolina), Guilherme Boury (Júnior) e Giovana Grigio (Mili). Ainda, Giovanna Gold (Carmem), Roberto Frota (José Ricardo), João Acaiabe (Chico) e Carla Fioroni (Ernestina). Atualmente a novela (de mais de 500 capítulos) está sendo reprisada pela primeira vez, às 21h45min, e fica novamente entre os programas mais vistos do SBT.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio