ENTREVISTA

Malu de Mulheres de Areia, Vivianne Pasmanter relembra sucesso da personagem rebelde: “Muito carismática e que o público gostava”

Atriz interpretava a filha do vilão Virgílio Assunção na obra de Ivani Ribeiro

Publicado em 21/09/2023

A atriz Vivianne Pasmanter, de 52 anos, relembrou a sua personagem Malu em Mulheres de Areia (1993), novela atualmente exibida na Edição Especial da TV Globo. Em entrevista à Quem em 2021, a artista falou sobre o sucesso dos looks punks da jovem na trama de Ivani Ribeiro e confessou que o papel ajudou a tirar a antipatia do público com ela por conta de sua vilã anterior na novela Felicidade.

“A Malu foi muito criada com a ajuda da figurinista Marilia Carneiro de fora pra dentro. O sapato do figurino dava uma quebrada no andar e acabei usando isso pra personagem. O visual me trouxe muito do clima dela. Eu tinha cabelo comprido há muito tempo. Quando fui cortar curtinho, me segurei numa mecha e falei ‘deixa essa mechinha aqui’ (risos). Ficou legal porque ficou um curtinho com uma mecha comprida e a gente acabou clareando. Curti esse visual e realmente ditou moda. Lembro que tinha gente que fazia essa mecha. Também criamos uma coleira que ela usava e começaram a usar também”, recordou a artista.

Vivianne Pasmanter também acredita que Malu acabou conquistando a simpatia do público, depois dela interpretar a vilã Débora na novela Felicidade (1991).

“Foi uma novela que adorei fazer. Foi logo depois de ‘Felicidade’, que era uma personagem superdensa. Por mais que a Malu fosse rebelde, ela era muito mais leve, mais próxima da idade que eu tinha. Eu acho que ajudou a tirar um pouco a antipatia que a personagem Débora causava por ser uma vilã. Às vezes acho que se confundia a simpatia ou antipatia que se tinha pela personagem com a simpatia ou antipatia que se sentia pela atriz. A Malu era uma personagem muito carismática e de quem o público gostava muito”, analisou ela.

Por fim, a artista relembrou a sua parceria com Raul Cortez em cena, e que os conflitos de Malu com Virgílio Assunção na história acabou fazendo com que o telespectador também torcesse por ela.

“A Malu era rebelde e aprontava muito, mas o público gostava dela. Acho que ela era uma personagem carismática. Não dá para dizer que ela seja a vilã; a errada. Afinal de contas, ela era rebelde com o pai, que era o grande vilão da novela. Acho que não dá para esquecer o ano que a novela passou. A gente não tinha internet, não tinha celular. Então, a resposta do público era muito menos palpável. Era mais difícil o público chegar e falar. Isso acontecia mais com as pessoas que você encontrava do trabalho pra casa, da casa pro trabalho ou quando saía pra ir numa padaria, num restaurante. Aí que você sentia como as pessoas viam. Realmente foi uma novela que fez muito sucesso. Era uma novela que parava o país. As pessoas não me confundiam com a personagem não. As pessoas sabem quem é o personagem, mas causava simpatia”, completou Vivianne Pasmanter.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade