Malhação: Viva a Diferença celebra a diversidade: “Falar sobre a utopia da convivência da diferença é um assunto que está premente hoje”

Publicado há 4 anos
Por Endrigo Annyston
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Pela primeira vez desde a estreia, há 22 anos, ‘Malhação’ será ambientada na cidade de São Paulo. As gravações da temporada ‘Viva a Diferença’, concebida por Cao Hamburger e dirigida por Paulo Silvestrini, começaram no início do mês na capital paulista. Entre as locações, estão o Parque Ibirapuera, o bairro da Liberdade, a Galeria do Rock, o Largo do Paissandu, o metrô, entre outros. “A nossa proposta é trabalhar com a diversidade. Eu acho isso muito pertinente porque uma das características do Brasil é ser um país de misturas e ter um povo tão plural. São grandes as riquezas do nosso país, e falar sobre a utopia da convivência da diferença é um assunto que está premente hoje”, explica Hamburger.

Silvestrini comenta sobre a escolha por São Paulo e o principal norte da temporada. “Um dos melhores pontos de estar em São Paulo é entrar em contato com o mundo inteiro por causa da diversidade que há. Essa ‘Malhação’ tem como protagonista o conceito da diversidade, o encontro de universos distintos e o convívio entre pessoas diferentes. Um fato marcante logo no primeiro capítulo faz com que cinco garotas criem um vínculo que independe das afinidades que têm. Desejosas de manter essa amizade, elas convivem, aprendem a lidar com as diferenças entre si e aprendem muito uma com a outra”, conta.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A história de amizade entre essas cinco garotas nasce a partir de uma experiência única e inesquecível. Durante uma pane do metrô, Lica (Manoela Aliperti), Ellen (Heslaine Vieira), Tina (Ana Hikari), Benê (Daphne Bozaski) e Keyla (Gabriela Medvedovski), por obra do acaso, se veem presas no mesmo vagão e, como se não bastasse a tensão natural da situação, Keyla entra em trabalho de parto. Talvez por não verem outra alternativa, mas sem dúvida por terem muita coragem e solidariedade, as outras meninas se unem para ajudá-la.

O nascimento da criança marca o vínculo entre as garotas de raízes, vivências e personalidades distintas: uma rica de estilo alternativo, uma “crânio” (e hacker) da periferia, uma rebelde e artista sansei, uma tímida e solitária que quer muito ter amigas e uma mãe adolescente. A trama acompanha a vida dessas jovens, que vão descobrir juntas como pode ser enriquecedor viver, confrontar e celebrar suas diferenças.

Retratar o universo feminino através destas cinco personagens era um desejo de Cao Hamburger. “Isso é um assunto que está pulsando no país e no mundo e entendo como algo importante. Fiz tanta coisa com personagens masculinos que estava com vontade de tentar enxergar o mundo através de personagens femininos. Minha aproximação desse universo é pela curiosidade e pela admiração”, conta.

Paulo Silvestrini, que já dirigiu uma temporada de ‘Malhação’, em 1997, e tem mais de 10 novelas no currículo, fala sobre a realização de trabalhar com Hamburger. “A primeira grande diferença deste trabalho é a presença do Cao e a forma como ele se relaciona com esse universo jovem. Além isso, tem tudo que ele agrega ao audiovisual, em particular sobre os assuntos sobre os quais nós nos debruçamos. Eu costumo brincar que sonhava ser o Cao e hoje estou trabalhando com ele”, elogia.

‘Malhação: Viva a Diferença’ tem estreia prevista para o início de maio.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais