Internautas especulam motivação política por trás de atentado à repórter da Globo; emissora nega

Repórter Marina Araújo foi feita de refém por agressor

Publicado há 4 meses
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A invasão da sede da Globo por um homem armado com faca, que chegou a fazer de refém a repórter Marina Araújo, está tendo ampla repercussão nas redes sociais ao longo desta quarta-feira (10). No Twitter, diversos internautas apontam a existência de motivação política por trás do atentado.

Isso é lamentável. Absurdo. É a própria materialização do discurso de ódio. E, apenas imaginem caso o porte de armas fosse legalizado no país. Teria rolado uma TRAGÉDIA“, declarou um rapaz no microblog.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Invadiram a Globo. O gado tá bravo, tá ficando violento!“, analisou outro, numa clara alusão à possibilidade de o agressor – que exigia ver a âncora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos – pertencer à rede de apoiadores e defensores do presidente Jair Bolsonaro.

O outro lado

Em comunicado oficial, a Globo negou que houvesse qualquer motivação política por trás do atentado. Segundo informações obtidas pelo portal UOL, corroborando a versão da emissora, o rapaz em questão tem 20 anos, vem do Espírito Santos e se declara fã de Renata Vasconcellos.

A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos“, garantiu a assessoria do canal.

Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente“, conclui a nota.

https://twitter.com/cinefilo_K/status/1270829488558014467
https://twitter.com/biatrigo/status/1270828692621660160
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais